Um em cada cinco passageiros já paga passagem do Buser pelo Pix

Um em cada cinco passageiros já paga passagem do Buser pelo Pix

André Ítalo Rocha

08 de março de 2021 | 18h01

 

O Pix, embora ainda seja pouco utilizado para compras pela internet, tem sido uma das principais formas de pagamento dos usuários da Buser, plataforma que viabiliza viagens de ônibus sob demanda por meio de empresas de fretamento. O novo meio de pagamento instantâneo – lançado pelo Banco Central (BC) em novembro e que se popularizou por permitir transações em menos de 10 segundos – é o escolhido em 20% das operações de pagamento recebidas pela companhia, que disponibiliza o Pix para passageiros desde o primeiro dia de operação da ferramenta.

Economia. Com a adesão ao Pix, a Buser, que soma 2 milhões de clientes transportados, tem conseguido economizar nas taxas bancárias que são pagas nas transações com cartão de débito, crédito e boleto. Por mês, são R$ 50 mil em recursos poupados, não só para si, mas também para as empresas conectadas à plataforma.

Tem chão. No mercado, contudo, os consumidores ainda resistem ao uso do Pix para compras pela internet. Uma pesquisa feita em fevereiro pela FGV, em parceria com a Toluna, mostrou que o novo meio de pagamento tem sido usado principalmente para transferências entre contas, com 78% de menções entre os entrevistados. As compras online aparecem só na quinta posição, com 28%.

Contato: coluna.broadcast@estadao.com

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 08/03/2021

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse
http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

buserpix

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.