Único banco público na Abag, BB fica na entidade após críticas ao governo

Único banco público na Abag, BB fica na entidade após críticas ao governo

Marcelo Mota

01 de setembro de 2021 | 05h20

No fim de semana, o Banco do Brasil ameaçou deixar a Febraban  Foto: Aline Bronzati/Estadão Conteúdo

Apesar do tom grave assumido publicamente pelo presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Marcello Brito, na crítica ao governo e de seu endosso ao manifesto liderado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) em prol de harmonia entre os três poderes da República, o Banco do Brasil (BB) não pretende arredar pé dessa associação. No fim de semana, o banco público ameaçou deixar a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), caso a entidade assinasse o manifesto da Fiesp.

A distinção entre o tratamento dispensado às entidades se deve a um só fato: na Abag, o BB não tem a companhia da Caixa Econômica Federal, como na Febraban. Por isso, não se vê impelido a acompanhar o levante dos bancos públicos.

No BB, refuta-se essa tese. Teria pesado sobre o caso da Febraban o papel que o banco tem na direção da entidade. Na Abag, é somente membro, sem interferência na tomada de decisão de subscrever o texto no epicentro da polêmica.

Permanecer ou não na Abag também não faria qualquer diferença para o banco ou para a entidade. Apesar da busca por negócios no agro ser crescente por parte de outras instituições, inclusive a Caixa, o BB vem batendo recordes de desembolsos nesse ramo e não vê seu reino ameaçado. Procurado, o BB não comentou.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast+ no dia 31/08/21 às 18h21.

O Broadcast+ é a plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

Bancosagronegóciofebrabanabag

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.