Unidade da Usiminas em Cubatão toda abaixo do rentável

Coluna do Broadcast

07 de junho de 2017 | 09h03

A laminadora da unidade de Cubatão, na Baixada Santista, da Usiminas está laminando em um ritmo mensal de 80 mil toneladas por mês. No entanto, o número está longe de ser aquele em que estudos internos mostram ser o rentável, de 120 mil toneladas por mês. A usina paulista deixou de fabricar placas há mais de um ano, diante da severa crise que afetou o setor siderúrgico. Para laminar o aço, a companhia mineira compra placas de terceiros. Procurada, a Usiminas informou que o dado sobre o equilíbrio da Usina de Cubatão é estratégico para a empresa e que a informação sobre a necessidade do ritmo de produção de 120 mil toneladas por mês para a viabilidade da usina não condiz com a realidade.

Siga a @colunadobroad no Twitter

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada