Valor de resgate pago por empresas em ciberataques sobe 71%

Valor de resgate pago por empresas em ciberataques sobe 71%

Gabriel Baldocchi

10 de junho de 2022 | 05h50

Ataques cibernéticos contra empresas se sofisticaram recentemente  Foto:  Pixabay

A mudança de hábitos para um mundo mais virtual na pandemia está ajudando a rechear os bolsos de criminosos do mundo digital. Os ataques cibernéticos contra empresas se sofisticaram e o valor dos resgates cobrados não para de subir.

Nos primeiros cinco meses deste ano, as corporações vítimas dos chamados ataques de ransomware (um software malicioso que sequestra dados) pagaram em média US$ 952.162 (cerca de R$ 4,7 milhões) para recuperar seus arquivos, valor 71% superior em relação ao ano passado. Em 2016, essa cifra era de US$ 600.

Vítimas incluem nomes como JBS e Embraer

A lista de vítimas desse tipo de ataques também está em alta e inclui nomes como Fleury, JBS e Embraer.

Os números fazem parte de um relatório global da Unit 42, divisão de inteligência da Palo Alto Networks, multinacional de cibersegurança com atuação em mais de 150 países, com base nos dados de clientes afetados.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 09/06/22, às 19h08

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Tudo o que sabemos sobre:

ciberataquestecnologiaransomware

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.