Venda da V.tal pela Oi ao BTG está prestes a ser concluída

Venda da V.tal pela Oi ao BTG está prestes a ser concluída

Circe Bonatelli

10 de junho de 2022 | 05h40

Dinheiro da venda será usado para reduzir dívidas da Oi  Foto: Nacho Doce/Reuters

Após quase um ano de tramitações, a operação de venda da empresa de fibra ótica V.tal está muito perto de chegar ao fechamento (closing), apurou a Coluna com fontes do mercado. Um comunicado ao mercado com o anúncio deve sair nos próximos dias.

A Oi fez a cisão do seu braço de redes para banda larga e acertou a venda do negócio por meio de leilão em julho do ano passado para fundo de investimento do BTG Pactual em conjunto com a Globenet Cabos Submarinos. A Oi permaneceu com 42,1% da subsidiária, enquanto os novos acionistas levaram 57,9% por R$ 12,9 bilhões.

A V.tal é a principal fornecedora de redes para provedores de banda larga, tendo a própria Oi como sua maior cliente. Na cisão, a empresa herdou uma rede de 400 mil quilômetros de fibra e contratos de infraestrutura com 260 provedores regionais de todo País. Hoje, passam de 300.

Recursos da venda servirão para reduzir dívidas da Oi

A transação recebeu aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em outubro do ano passado, e anuência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em maio deste ano.

Os recursos da venda do controle da V.tal servirão para reduzir dívidas da Oi, conforme previsto em seu plano de recuperação judicial. Após o closing está previsto o pagamento da debênture de R$ 2,8 bilhões emitida pela tele ano passado e que teve a subscrição liderada na época por Brookfield seguida de Farallon e Prisma Capital.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 09/06/22, às 19h40

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.