Venda de fatia da JBS nas mãos do BNDES fica para janeiro

Coluna do Broadcast

29 de novembro de 2019 | 03h57

Por Fernanda Guimarães

Sem tempo para conseguir vencer os trâmites burocráticos e viabilizar a venda das ações que detém do frigorífico JBS ainda este ano, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) bateu o martelo e as oferecerá ao mercado apenas em janeiro de 2020. Uma das necessidades para vendas acima de R$ 1 bilhão é o aval do conselho de administração do banco que já teria, contudo, indicado ser favorável à operação. Inicialmente, a ideia era que a oferta, que envolverá a venda de metade da participação do banco na JBS e pode superar os R$ 8 bilhões, ocorresse próximo ao dia 10 de dezembro. Foram contratados para estruturar a operação os bancos Bradesco BBI, BTG Pactual, Bank of America Merrill Lynch (Bofa), Itaú BBA e UBS Brasil. O BNDES é dono de 21,32% das ações da JBS.

Leia também: Apesar de venda de fatia do BNDES na Marfrig engatilhada, Marcos Molina ainda quer participação do banco de fomento

Atropelou. Fora isso, outra questão pesou na decisão de deixar a emissão para 2020: a oferta subsequente da concorrente Marfrig ter sido programada também para dezembro. As empresas atuam no mesmo setor e disputariam os mesmos investidores. A oferta da Marfrig, também poderá ser uma porta de saída para o BNDES, que possui 33,74% da companhia. Procurado, o BNDES não comentou.

Notícia publicada no Broadcast dia 28/11/2019, às 15:23:17

Contato: colunabroadcast@estadao.com
Siga a @colunadobroadcast no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

bndesJBSfollow on

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.