Venda do Anhembi pode render mais de R$ 1,4 bi

Venda do Anhembi pode render mais de R$ 1,4 bi

Coluna do Broadcast

15 de fevereiro de 2019 | 04h00

Previsto para acontecer em 9 de abril, o leilão de privatização da São Paulo Turismo (SPTuris), empresa municipal que tem como principal ativo o Complexo Anhembi, pode superar o lance mínimo de R$ 1 bilhão em 40%. O sobrepreço seria justificado pelo potencial oferecido pelo complexo que, remodelado e reurbanizado, pode atender ao mercado hoteleiro, de shows, feiras e entretenimento, áreas nas quais há grande carência de espaços nobres na cidade. Com mais de 400 mil metros quadrados, o complexo que será leiloado foi construído na década de 1970 e abriga, além do sambódromo, um pavilhão de eventos, o centro de convenções com quatro auditórios e estacionamento. O vencedor do pregão será o de maior valor, sem considerar os projetos urbanísticos de cada oferta.

Perdas. No terceiro trimestre de 2018, o prejuízo operacional do complexo Anhembi foi de R$ 5,7 milhões. A prefeitura afirmou, ao lançar o edital que, além do ganho com o leilão, deixará de ter perdas de R$ 2 bilhões, nos próximos 15 anos. (Cristiane Barbieri)

Siga a @colunadobroad no Twitter

Para ver a Coluna do Broadcast sem o delay assine o Broadcast+

Tudo o que sabemos sobre:

Anhembi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.