Vendas de impressoras sofrem queda profunda e têm recuperação lenta

Circe Bonatelli

27 de agosto de 2020 | 05h00

Depois de um primeiro trimestre com alta de 4,1%, o mercado de impressoras voltou a cair no Brasil. No segundo trimestre foram vendidas 386,2 mil unidades, baixa de 41,2% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com a consultoria IDC.

Travou. A crise provocada pela pandemia foi o principal motivo para a retração dos negócios. Além disso, a popularização do trabalho em casa reduziu o número de funcionários nos escritórios, assim como o volume mensal de impressão nas empresas e as vendas de equipamentos.

Devagar. A consultoria espera uma lenta recuperação do mercado de impressoras, associada, principalmente, ao retorno das atividades nos escritórios e nos comércios. Mas isso deve ser insuficiente para evitar uma retração do mercado no ano. A IDC prevê retração de 16,2% nas vendas de impressoras em 2020.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 26/08/2020 às 16:41:09 .

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse http://www.broadcast.com.br/produtos/broadcastplus/

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

impressoraspandemia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.