Vendas de materiais de construção caem mais que previsto no início do ano

Vendas de materiais de construção caem mais que previsto no início do ano

Circe Bonatelli

10 de fevereiro de 2022 | 05h25

Inflação e juros altos afetaram a procura de material para obras e reformas  Foto: Daniel Teixeira / Estadão

Após fechar em alta no ano passado, as vendas da indústria de materiais de construção estão perdendo fôlego em ritmo mais alto que o previsto. As vendas da indústria recuaram 9,8% em janeiro, em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com dezembro, houve baixa de 2,1%. Os dados foram antecipados pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat).

O faturamento do setor cresceu 8,1% em 2021, e a projeção é de alta de apenas 1% para 2022. O presidente da Abramat, Rodrigo Navarro, afirma que o pico de produção e vendas foi no primeiro semestre do ano passado. Então, trata-se de uma projeção de crescimento saudável, em cima de uma base de comparação forte.

A desaceleração nas vendas já vinha sendo observada desde o segundo semestre, mas a queda de janeiro foi acima da esperado, segundo Navarro. Inflação e juros altos reduziram o poder de compra e encareceram o crédito, o que diminuiu a procura de materiais para obras e reformas.

Para este ano, a previsão é que a demanda seja puxada pelas construtoras, que estão iniciando obras de empreendimentos residenciais lançados nos meses anteriores.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 09/02/22, às 16h59.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.