Via Varejo emplaca debênture sustentável sem grande demanda

Via Varejo emplaca debênture sustentável sem grande demanda

Cynthia Decloedt

11 de maio de 2021 | 05h40

Via Varejo é dona das Casas Bahia. Foto Hélvio Romero /Estadão

A Via Varejo conseguiu vender a totalidade de R$ 1 bilhão de debêntures com compromisso de sustentabilidade, ligadas ao aumento do uso de energia renovável em suas lojas, sem demanda expressiva. Na verdade, a quantidade de investidores interessados foi bem justa e quase insuficiente para a oferta. Uma pequena parte foi alocada nesta segunda-feira. A emissão das sustainability linked debêntures (SLB) foi criticada desde que a Via Varejo anunciou a operação.

Os argumentos são de que o grupo, dono das Casas Bahia e Ponto Frio, é pouco intensivo no uso de energia. Os críticos se espelham em emissões feitas por outras empresas do varejo que atrelaram suas metas de sustentabilidade à reciclagem de embalagens ou à redução de emissão de gases efeito estufa de suas frotas de logística.

O compromisso da Via Varejo é elevar dos atuais 30% para 90% o uso de energia renovável até 2025. O não cumprimento da meta eleva em 10 pontos-base ou de 1,90% para 2% o juro da debênture de três anos e de 2,10% para 2,20% o da debênture de cinco anos. A debênture da Via Varejo é a terceira do tipo SLD emitida no mercado local. O Boticário captou R$ 1 bilhão no ano passado e a Rumo Logística outro R$ 1,5 bilhão. Procurada, a Via Varejo não comentou.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 11/05, às 18h15.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

Via Varejodebênture#sustentável

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.