Vivo e Stan reforçam meta “verde” com bônus e adoção de floresta

Vivo e Stan reforçam meta “verde” com bônus e adoção de floresta

Matheus Piovesana

16 de abril de 2021 | 05h15

Imagem da Amazônia.  Foto Tiago Queiroz/Estadão

No momento em que as leis internacionais e os investidores têm exigido um compromisso ambiental mais forte, mais empresas têm priorizado a área. A Vivo aumentou o peso do cumprimento das metas de redução das emissões de gases causadores do efeito estufa nos bônus pagos aos executivos. Já a construtora Stan “adotou” uma área da Amazônia, que utilizará para compensar as emissões de projetos imobiliários.

Na Vivo, 5% do bônus pago aos executivos vão depender do cumprimento das metas de emissões, ante o 1% válido até o ano passado. A operadora atacou o ponto mais vulnerável do contracheque: em 2020, os bônus foram responsáveis por cerca de 40% da remuneração dos estatutários do alto escalão, e chegaram a R$ 10,3 milhões. A meta é limitar as emissões a 81,2 mil toneladas de CO2 neste ano, ante as 78 mil emitidas em 2020. O aumento previsto viria, segundo a Vivo, da expansão de suas atividades para novas cidades.

Já a Stan aderiu ao projeto REDD+ Maísa, tocado pela Biofílica e que também tem a Vivo entre as parceiras. A incorporadora vai “adotar” uma área de 28,7 mil hectares da Floresta Amazônica entre os rios Tocantins e Moju. O projeto paga pelo trabalho de moradores da região que mantêm a mata de pé, para torná-la mais economicamente atrativa do que se fosse desmatada. A Stan não abre números, mas pretende direcionar um terço de seus investimentos ambientais à iniciativa e já compensou mais de 100 mil toneladas em emissões.

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 15/04, às 09h57.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

VivostanAmazônia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.