Vivo fecha parceria com Nokia para fornecimento de serviços de redes 5G

Vivo fecha parceria com Nokia para fornecimento de serviços de redes 5G

Circe Bonatelli

06 de maio de 2022 | 05h35

Redes de internet móvel 5G estão presentes em 21 cidades do País Foto: Tiago Queiroz/ Estadão

A Telefônica Brasil, dona da Vivo, fechou contrato com a Nokia para atender a rede de 5G que está em fase de implementação. A multinacional finlandesa será a provedora das funções de sinalização e controle do núcleo de rede – processos relacionados à garantia da rapidez no tráfego de dados e no tempo de resposta entre os aparelhos conectados.

As redes de internet móvel de quinta geração já estão presentes em em  1.947 cidades ao redor do mundo, sendo 21 delas no Brasil, segundo a pesquisa da Viavi Solutions, empresa de serviços de redes de telecomunicações.

Equipamentos 5G ainda aproveitam infraestrutura já instalada

Até aqui, a grande maioria das redes implantadas ao redor do mundo (inclusive no Brasil) ainda funciona no padrão non-standalone (NSA), o que significa que o equipamento 5G aproveita a infraestrutura já instalada da rede 4G existente.

Embora esse padrão represente uma melhora da conexão, não chega a oferecer uma velocidade de tráfego de dados tão alta quanto no padrão standalone, ou “puro-sangue”, ou seja, com infraestrutura e rede totalmente dedicadas ao 5G. É isso que permitirá aplicações inovadoras, como o carro que roda sem motorista ou o uso de drones para pulverizar plantações.

A ativação do padrão “puro sangue” no Brasil está prevista para começar nas capitais no fim de julho. Isso depende da conclusão da limpeza, contra interferências, da faixa de 3,5 Ghz, que foi leiloada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em novembro.

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 05/05/22, às 15h45.

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.