XP se associa a fundador do Buscapé, lança fundo de venture capital e quer usar assessores para avançar na área

XP se associa a fundador do Buscapé, lança fundo de venture capital e quer usar assessores para avançar na área

Cristiane Barbieri

03 de fevereiro de 2022 | 13h25

 

Guilherme Benchimol, presidente executivo do conselho de administração da XP Inc., Romero Rodrigues, sócio-gerente da Headline, e Thiago Maffra, CEO da XP Inc. (Foto: Vivian Koblinsky/XP/Divulgação)

 

A XP quer usar os 9 mil assessores de investimento, consultores e family offices de sua rede para avançar rapidamente na área de venture capital, de investimentos em empresas fechadas. A plataforma anunciou nesta quinta-feira uma parceria com a gestora Headline, comandada por Romero Rodrigues, um dos pioneiros do mundo das startups e fundador do Buscapé, em 1998.

Juntos, XP e Headline lançarão um novo fundo de venture capital e o exército de assessores será usado para buscar negócios em todo o País. “Teremos capacidade de nos conectar com startups do Brasil inteiro, por meio do ecossistema de assessores existente na XP”, afirma Bruno Castro, CEO da XP Asset Management. “Um dos objetivos da aliança será propagar smart capital para os fundadores e os times de suas startups usando o alcance e expertise da XP”.

Rodrigues esteve por sete anos na Redpoint eventures, que somou R$ 1,5 bilhão sob gestão com investimentos em startups como os unicórnios Creditas, Gympass, Rappi e Olist.

O fundo, que deve ser captado em breve, terá a mesma estratégia do Redpoint eventures 1 e Redpoint eventures 2 de investimentos em startups iniciantes. A ideia é apoiar com capital, mentoria e network os fundadores de startups do Brasil.

Recém-chegada ao Brasil, a Headline é uma empresa de venture capital internacional com US$ 2 bilhões em ativos sob gestão. Criada há 22 anos, tem quatro fundos early stage (empresas iniciantes) voltados regionalmente a EUA, Europa, Brasil e Ásia e um fundo de growth global que investe no mundo todo. Entre as investidas estão Creditas, Farfetch, Gopuff, Grin, Honeycomb, entre outros.

Criado em 2012, o fundo 1, de US$ 130 milhões, investiu em 30 empresas, sendo quatro unicórnios. Já o fundo 2, de US$ 175 milhões, foi lançado em 2018, tem 26 empresas no início e vendeu quatro, todas com retornos positivos. “Ambos os fundos estão com retornos acima do target esperado para a classe, que é de 25% ao ano”, afirma Romero.

“A gestora que estamos montando tem um formato inédito: um time de gestão completamente independente com experiência de operação e investimentos em startups, uma firma de VC global trazendo os melhores insights, práticas e tecnologias, e o poder e alcance de um dos principais protagonistas do mercado financeiro brasileiro”, diz Rodrigues. “Nossa missão será ajudar a desenvolver o ecossistema de empreendedorismo e startups no País e democratizar o venture capital entre os investidores brasileiros. Com a XP como sócia teremos todos os recursos necessários para avançarmos nessa direção.”

Segundo Thiago Maffra, CEO da XP, a plataforma tem lançado iniciativas para apoiar startups de diversos tamanhos e estágios de crescimento. “Pretendemos investir em até 30 negócios diferentes por meio desse fundo”, diz. “É um passo importante para o mercado de inovação brasileiro e estamos apenas no começo. Queremos conversar com milhares de startups brasileiras.”

Além da XP no Brasil, a gestora contará ainda com a plataforma global e seus sócios internacionais, Jeff Brody fundador da Redpoint e Mathias Schilling fundador da Headline, antiga e.ventures, que seguem no comitê de investimento da gestora.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 03/02/2022, às 09:00

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

XPThiago MaffraHeadlineventure capital

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.