Yduqs vai investir R$ 30 milhões para criar seu maior campus de medicina

Yduqs vai investir R$ 30 milhões para criar seu maior campus de medicina

André Jankavski

14 de julho de 2021 | 05h40

Área de saúde é um dos principais pilares de expansão da Yduqs Foto: Tiago Queiroz/Estadão

A Yduqs segue com o foco na expansão da sua área de faculdades de medicina e vai investir R$ 30 milhões na criação de em um novo campus do Idomed no Rio de Janeiro. A companhia já fechou o contrato para alugar um prédio na Avenida Presidente Vargas, no centro da capital fluminense, que vai ter 11 mil metros quadrados e poderá abrigar até 1,7 mil alunos. A previsão é que o campus, que será o maior em operação de suas faculdades de medicina, já esteja funcionando no início do ano que vem.

O investimento é parte do projeto da companhia de ampliar a sua penetração nos cursos premium, mas com a área de saúde como um dos principais pilares de expansão. Além do Idomed, a Yduqs é dona também do Ibmec, marca que veio junto com a aquisição do grupo Adtalem, concluída em 2020.

Segundo Marina Fontoura, vice-presidente de operações premium da Yduqs, a companhia de educação tem um crescimento muito forte contratado com a abertura dessa e de outras operações. “Temos 6,3 mil alunos com a gente, mas estamos prevendo  aumentar para 15 mil alunos em sete anos quando as nossas operações estiverem plenamente maturadas”, afirma.

A Idomed tem 14 operações funcionado, mas, segundo Marina, esse número deve chegar a 18 até o fim do ano que vem. Além disso, aquisições no segmento continuam no radar da Yduqs.

Uma das vertentes de crescimento da Yduqs também é pelo programa Mais Médicos, que lança editais para a criação de novos cursos em cidades do interior do País. O Ministério da Educação autorizou neste ano a implementação de cursos de medicina em três cidades: Açaílândia (MA), Quixadá (CE) e Castanhal (PA). No total, são 150 vagas, mas o grupo também está pleiteando mais vagas em Iguatu (CE) e Ji-Paraná (RO).

“No Mais Médicos você entra com uma menor capacidade, mas com a maturação da faculdade vai aumentando o número de alunos”, diz ela.

Área de negócios

A Yduqs reuniu os cursos de medicina em uma só área de negócios em maio deste ano. A ideia, de acordo com a vice-presidente, é destravar o valor que a operação de medicina pode trazer para a companhia. Segundo ela, não há interesse no momento de que essa operação seja separada da Yduqs e parta para um IPO, mas não é algo totalmente descartado.

“Nós optamos por dar transparência aos números para que os investidores precifiquem coisas diferentes de maneira diferente. Se em algum momento o mercado não precificar dessa maneira, um IPO pode vir a ser uma etapa posterior”, diz.

No primeiro trimestre do ano, a Idomed registrou faturamento de R$ 160 milhões, contando com aquisições feitas. Considerando  o Ibmec, a receita líquida do segmento premium foi de R$ 210 milhões, alta de 92% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

As ações da Yduqs registram queda de cerca de 6% neste ano e ainda estão 43% mais baixas que no pré-pandemia. Mesmo assim, analistas enxergam potencial de valorização para a empresa com a recuperação da economia no segundo semestre. A XP, por exemplo, coloca um preço-alvo de R$ 50,70, o que representaria uma alta de 56% em relação com o valor atual. Já o Bradesco BBI enxerga o papel com um valor justo de R$ 45.

 

Esta reportagem foi publicada no Broadcast+ no dia 14/07/2021, às 00h30.

Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse 

Contato: colunabroadcast@estadao.com

Siga a @colunadobroad no Twitter

Tudo o que sabemos sobre:

educaçãosaúdemedicinafaculdades

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.