As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ben Bernanke assume centro do palco após alívio com a Grécia

22 de junho de 2011 | 10h08

Os investidores internacionais amanhecem hoje com um problema a menos: o governo da Grécia sobreviveu ao voto de confiança no parlamento. Embora as dificuldades ainda sejam grandes, a decisão afastou a possibilidade de default desordenado da dívida. Com o alívio, até já antecipado ontem pelos mercados, as atenções se voltam para os Estados Unidos (EUA) e a entrevista de Ben Bernanke, após reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

Os temores com a desaceleração da economia norte-americana até andaram encobertos pela crise grega. Mas, os indicadores seguem decepcionando, às vésperas do fim do programa de alívio do Fed. Analistas acreditam que a autoridade irá rever para baixo hoje as projeções de crescimento para este ano.

Bernanke tende a adotar tom mais cauteloso na coletiva marcada para as 15h15 (de Brasília), depois de manter os juros entre zero e 0,25%. O importante será observar sua avaliação sobre o esfriamento recente da atividade nos EUA. Especialistas continuam avaliando que a economia norte-americana sofre o impacto de efeitos temporários, trazidos principalmente pela interrupção da cadeia produtiva com o terremoto no Japão.

“Um tom mais dovish (brando) para reconhecer a fraqueza recente não deve mover os mercados e deve ser seguido pela reiteração da natureza temporária da fraqueza da atividade”, avalia o Lloyds Bank.

É claro que as respostas sobre a possibilidade de mais desaperto serão acompanhadas com toda a atenção. O atual programa de compra de ativos está prestes a acabar, em 30 de junho. Especialistas não veem a necessidade de novas medidas, mas o debate nos mercados existe.

As preocupações com a Grécia seguirão como pano de fundo dos mercados. Ontem, o parlamento aprovou o voto de confiança ao governo do primeiro-ministro George Papandreou, com 155 votos a favor e 143 contra. Vencido esse primeiro obstáculo, o próximo desafio é a aprovação das medidas adicionais de austeridade na próxima semana, necessárias para a liberação da quinta parcela do empréstimo tomado no ano passado e de mais recursos do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia.

A Grécia estará no topo da agenda da reunião de cúpula da União Europeia entre amanhã e sexta-feira, em Bruxelas, mas sem expectativa de grandes novidades. A decisão sobre novo pacote de resgate só deve ser tomada no encontro de ministros europeus marcado para 3 de julho.

Os mercados internacionais anteciparam ontem a aprovação ao governo grego e hoje devolvem naturalmente parte dos ganhos. No Brasil, a liquidez deve ficar mais restrita pelo feriado de Corpus Christi nesta quinta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:

austeridade fiscalBen BernankeEUAGrécia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.