As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inflação de São João: veja a variação de preço de 8 pratos típicos

Levantamento da FGV mostra que uma cesta de produtos juninos ficou 9,95% mais cara nos últimos 12 meses, acima do índice geral

Economia & Negócios

24 de junho de 2015 | 13h52

Por Natália Cacioli 

As comemorações de São João estão mais caras este ano. Uma pesquisa do economista do FGV/IBRE André Braz mostrou que o preço médio das comidas típicas dessa época está maior. Mas nem tudo está perdido: alguns ingredientes essenciais para as comilanças das festas subiram abaixo da inflação geral ou até tiveram queda de preços nos últimos 12 meses.

De acordo com o levantamento, o preço dos ingredientes usados em algumas das delícias juninas subiu, em média, 9,95% entre junho de 2014 e maio de 2015. O resultado ficou acima da inflação geral do período, de 8,63%, com base no Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Getulio Vargas.

A cesta de produtos da pesquisa reuniu 24 itens e as carnes bovinas tiveram a maior alta, de 17,98%. Em seguida, aparecem as bebidas destiladas (olha o quentão), com 15,11%.

Segundo Braz, as carnes têm um peso importante no índice, porque consomem uma fatia relevante do orçamento direcionado à alimentação. Ele cita o aumento das exportações de carne para a China e maior custo de produção (aumento do preço da ração e energia elétrica, por exemplo) como os principais fatores para a alta.

Nota-se que os produtos com as altas mais relevantes do levantamento são aqueles que precisam repassar custos de serviços, como é o caso de refrigerantes e água mineral fora de casa, que subiram 11,26%. “Houve um encarecimento forte de custos, principalmente energia elétrica, o que encarece a alimentação fora de casa”, explica Braz. O preço da conta de luz subiu quase 60% nos últimos 12 meses, segundo o IPCA, índice de inflação do IBGE.

Nesse caso, uma boa escolha é preparar a festa em casa em vez de ir a uma quermesse, como faz a redação do Estadão neste Dia de São João!

A boa notícia é que, se recorrermos ao livro de receitas da vovó, descobriremos que a carne não é tão necessária. Mesmo porque, conforme conta a história, as festas juninas surgiram como uma celebração e pedido de fartura para as colheitas, por isso que há tantos pratos com ingredientes como milho e mandioca.

No levantamento da FGV, o preço do milho de pipoca caiu 6,15%, enquanto a farinha de mandioca teve queda de 26,16%. O milho em conserva, segundo o IBGE, também registrou queda de preço no período, de 3,78%. Portanto, o bolo de milho, o curau e a pamonha estão garantidos!

Veja abaixo a variação de preço de outros produtos juninos apresentados de maneira sugestiva para deixar a sua festa junina mais gostosa: