As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tomate, o vilão da inflação. De novo

IPCA-15 mostrou que o preço do tomate já subiu 50% este ano; relembre o rebuliço no País causado pelo fruto em 2013

Economia & Negócios

22 Maio 2015 | 11h50

Por Natália Cacioli

O bom e velho tomate voltou a assombrar os consumidores nas feiras e supermercados do País. O fruto que foi o vilão da inflação em 2013 e protagonista de memes memoráveis nas redes sociais (relembre abaixo), também assustou no segundo semestre do ano passado e agora volta a ser assunto da macarronada de domingo. Mas por que o preço do tomate varia tanto?

Vamos aos números:

O IPCA-15 de maio divulgado nesta sexta-feira, 22, mostrou que o preço do tomate subiu 19,79% no mês e já acumula alta de 50,99% no ano. O IPCA de abril já havia mostrado aumento de 17,90% no mês e de 48,65% no ano. Essas variações impulsionaram a alta do grupo de alimentos, responsável pela maior influência de alta do IPCA-15 deste mês.

Voltemos para 2013:

O preço do tomate causou tanto rebuliço no País que o Financial Times chegou a escrever que o tomate ameaçava a reeleição de Dilma; uma cantina italiana de São Paulo tirou o tomate do cardápio como protesto ao aumento dos preços; Dilma se pronunciou, disse que estavam tentando transformar os alimentos no tomate, e que estava tudo sob controle; Dilma Bolada criou um novo programa social, o “Meu Tomate Minha Vida”; Ana Maria Braga ostentou, e apresentou seu programa com um colar feito de tomates.

Tudo isso aconteceu no primeiro semestre do ano, quando o preço do tomate acumulou em apenas quatro meses alta de 72,79%. Os produtores atribuíram o aumento à falta de chuvas ou ao excesso delas. E se a produção cai e a demanda continua igual, os preços sobem. É o que diz a velha lei da oferta e demanda.

A partir de maio de 2013, o preço do tomate começou a desacelerar e acabou fechando o ano com alta de 14,74% – ainda bem acima do índice geral, que ficou em 5,91%.

Em 2014, a atenção se voltou novamente para o tomate no segundo semestre, quando em outubro o preço subiu 12,37% na variação mensal. A alta foi pontual, e o preço do tomate caiu 3,07% no ano. Ou seja, como diriam alguns economistas, o preço subiu de elevador em 2013 e desceu de escadas em 2014.

Agora em 2015, efeitos sazonais voltam a pressionar o preço do tomate na mesma época de 2013. Podemos esperar uma desaceleração durante o ano, mas o tomate será mais um peso nos bolsos dos brasileiros, além da conta de luz, do almoço fora de casa, do pãozinho…