As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entenda a mudança do cálculo do PIB

Alteração na metodologia do cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) pode aumentar os resultados registrados pela economia brasileira nos últimos anos

Economia & Negócios

09 de março de 2015 | 21h12

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mudou o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB, soma total da renda gerada num país em determinado período). Nova fórmula passa a contabilizar, por exemplo, aportes em pesquisa e exploração mineral como investimentos, e não mais como despesas. Entenda as mudanças:

Investimentos
Passam a integrar a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, a soma dos investimentos no PIB) os aportes em pesquisa e desenvolvimento; exploração e avaliação de recursos minerais; e software.

Energia
O acionamento das usinas termelétricas também passa a ser considerado, uma vez que aumenta o custo de produção da energia.

Imposto de renda
Os dados do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) passam a ser adotados como parâmetro para mensurar o consumo das famílias.

IPP
Inclusão das informações geradas pelo Índice de Preços ao Produtor, que capta as variações de preços dos produtos na porta de fábrica da Indústria de Transformação.

Sedes
As sedes administrativas das empresas passam a contar como serviços e em seu local de origem, não são mais incorporadas pelas filiais que desenvolvem a atividade fim, como as plantas industriais.

Holdings
As holdings também passam a entrar como serviços e em seu local de origem, e não são mais incorporadas pelas filiais que desenvolvem a atividade fim da companhia.

Construção
A construção civil passa a ter apuração mais precisa, que inclui custos de insumos e remunerações.

Saúde
A saúde pública passa a ter apuração mais precisa, que inclui dados mais detalhados do DataSUS.

Tudo o que sabemos sobre:

IBGEPIB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: