As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Grafistas X Fundamentalistas

Paulo Silvestre

19 de março de 2010 | 20h00

grafico.jpgComo escolher qual ação comprar? Existem dois tipos de análises mais comuns no mercado de ações. A primeira delas, e talvez você já tenha ouvido falar, é a análise fundamentalista. Neste tipo de análise, o investidor leva em consideração os “fundamentos” da empresa, como lucro, grau de endividamento e participação no mercado. Ou seja, o investidor pode avaliar se os papéis estão caros ou baratos em relação aos fundamentos atuais ou futuros. É necessário dedicar tempo para conhecer os planos da empresa, os investimentos mais recentes e para os meses/anos seguintes, comparar os números e fazer projeções. Quem se interessa por esse tipo de análise pode recorrer ao RI (Relações com Investidores) das empresas e pedir informações adicionais.

Já a análise gráfica usa basicamente o gráfico de preços da ações, com figuras gráficas e linhas de tendência. Os grafistas estudam o histórico da ação: eles observam a ação no passado e tentam perceber o que irá ocorrer com as cotações nas próximas semanas. Além disso, para eles, o principal objetivo é mapear o comportamento da massa dos investidores e observar onde estão os movimentos de compra e venda. Um gráfico de curto prazo, por exemplo, pode mostrar as variações de uma cotação no último dia, semana ou mês.

Na análise gráfica, existem dois termos muito comuns: suporte e resistência. Suporte é o ‘piso’ da ação, o patamar de preços no qual a maioria dos investidores acha que vale a pena investir. Já a resistência pode ser vista como um teto ou limite de preços, em que os investidores podem se sentir motivados a vender. É como se fosse o patamar de preço máximo que a ação pode atingir, a partir daí ela já começa a ficar cara.

O embate entre grafistas e fundamentalistas não é novo no mercado de ações. Cada qual defende seu ponto de vista, mas existem vários investidores que já usam as duas técnicas e acreditam que elas se complementam. Ao investir em ações, pode ser interessante você conhecer a opinião tanto de um grafista quanto de um fundamentalista e tirar suas próprias conclusões. Bom investimento!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.