As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para que serve o Relatório Focus?

Nívea Terumi

03 de março de 2011 | 14h42

O Banco Central decidiu ontem, na segunda reunião do ano do Comitê de Política Monetária, o Copom, a nova taxa referencial de juros da economia. A decisão foi pelo aumento da taxa básica em meio ponto porcentual, o que levou a Selic a 11,75% ao ano.

Antes de tomar essa decisão, o BC considerou vários aspectos da economia, entre eles a expectativa do mercado. E o Relatório Focus (também conhecido por pesquisa Focus) é a forma com que os agentes financeiros – bancos, corretoras e outras instituições cadastradas no sistema do BC – ‘conversam’ com o Banco Central. Essa pesquisa é feita semanalmente pelo BC para saber o que os agentes esperam dos principais indicadores da economia, principalmente os de inflação.

Divulgada sempre às segundas-feiras, a pesquisa  Focus é importante para o BC poder acompanhar de perto as expectativas do mercado, que são uma das bases do sistema de metas para a inflação, adotado pelo País desde 1999. Nesse sistema, o BC se compromete com uma meta de inflação (medida pelo IPCA) definida pelo governo para o ano, respeitando uma margem de tolerância para cima ou para baixo. No Brasil, quem define essa meta é o Conselho Monetário Nacional (CMN), ligado ao Ministério da Fazenda e composto pelos ministros da Fazenda e do Planejamento, além do presidente do Banco Central.

Para este ano, a meta do governo é de 4,5%, com tolerância de dois pontos porcentuais, ou seja, entre 2,5% e 6,5%.  (Caso o BC não cumpra essa meta, o presidente da autoridade monetária – atualmente, o presidente do BC é Alexandre Tombini – precisa escrever uma carta aberta ao ministro da Fazenda dando explicações sobre o motivo do não cumprimento dela.)

Apesar de relativamente novo, esse sistema tem tido êxito em controlar o avanço dos preços no Brasil, que possui um passado recente de inflação crônica. E a pesquisa Focus é uma peça importante para manter alinhadas as expectativas do mercado sobre o rumo da economia e o trabalho do BC de manter a inflação sob controle.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.