Saiba como mudanças da Selic impactam aplicações de renda fixa
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Saiba como mudanças da Selic impactam aplicações de renda fixa

A cada reunião do Copom, o patamar de rendimento de aplicações atreladas à taxa básica de juros pode mudar

Economia & Negócios

03 Dezembro 2014 | 15h09

Foto: Free Images

Foto: Free Images

A cada 45 dias, investidores de renda fixa vêem suas aplicações mudarem o patamar de rentabilidade após o Copom se reunir e decidir novas taxas de juro básico, a Selic. O juro básico afeta diretamente a rentabilidade de aplicações conservadoras, como títulos públicos do Tesouro Direto, fundos de renda fixa e DI e Certificados de Depósito Bancário (CDBs). Isso porquê tais aplicações são atreladas ao Certificado de Depósito Bancário (CDI), título que é impactado pela Selic. Leia abaixo as principais dúvidas sobre o tema:

O que é o CDI?

Da mesma maneira que investidores “emprestam” dinheiro aos bancos comprando CDBs e sendo remunerado por isso, as instituições também realizam operações entre elas para captar recursos. No caso dos bancos, são negociados CDIs, títulos que representam a dívida de uma instituição com outra. O banco que precisa de recursos emite o CDI e outra instituição que tenha dinheiro sobrando o compra, recebendo pela operação uma remuneração, a taxa CDI. Tal papel foi criado em meados da década de 1980 e tem características muito próximas ao do CDB. A diferença básica é que só é negociado por bancos.

Como a Selic afeta o CDI?

Na prática, a taxa dos CDIs dos bancos é muito próxima à Selic. O risco de haver calote nessas operações é baixo e, por isso, a taxa CDI não tem um grande ágio em relação à Selic, que representa o risco de emprestar dinheiro para o governo. Cada CDI é negociado a uma taxa e a média das rentabilidades forma a taxa CDI, a que será utilizada nas aplicações. Se a Selic sobe, portanto, o CDI acompanha pois o juro básico é usado como parâmetro nessas operações interbancárias. O mesmo acontece se a Selic passa a cair. Se emprestar para o governo passa a pagar menos, os bancos também passam a emprestar no mercado interbancário por menos.

Como a taxa Selic influencia os fundos DI?

Por regra, 95% da carteira dos fundos DI devem ser direcionados a títulos ou operações atreladas ao próprio CDI ou à Selic. Se o título é atrelado à Selic, a mudança da taxa afeta diretamente a rentabilidade deste. No caso do CDI, o impacto é indireto, como visto na pergunta anterior, mas muito correlacionado.

Como a Selic afeta CDBs, LCIs e LCAs?

Grande parte dos títulos de renda fixa remunera o investidor como um porcentual do CDI. É comum ouvir que determinado CDB paga 90% do CDI. Isso quer dizer que se em um ano a taxa CDI média foi de 10%, este CDB irá ter rentabilidade de 9% (ou seja, 90% do CDI). Todo o impacto da mudança da Selic, portanto, é em cadeia. A alta da Selic, faz com que o CDI aumente, fazendo assim a rentabilidade destas aplicações melhorar. O importante no investimento nestes títulos é tentar negociar uma alta taxa do CDI para que, independentemente do cenário, o investidor esteja recebendo algo muito próximo a Selic (100% do CDI) ou até acima dela.

Mais conteúdo sobre:

CDIinvestimentorenda fixaSelic