No final do ano a bolsa sempre sobe?

Alexandre Cabral

28 de dezembro de 2015 | 12h02

Quando eu era criança sempre escutei algumas histórias que davam medo:

1) Lembram da loira do banheiro? Aquela que possuía algodão no nariz.

2) Que passava mal, quem tomava banho após as refeições. Minha avó falava que só podia tomar banho 3 horas após comer. E confesso que até meus 20 anos de idade eu seguia esse pensamento.

O que isso tem a ver com este artigo?

Sempre escutei que no final do ano ocorria o rali da bolsa. O que seria isso? No final de cada ano as ações disparam, para fecharem o ano em condições melhores do que estavam até aquele período. Isso é bom para todos os investidores em ações. Não esqueçam que você vai ver nas estatísticas futuras que a bolsa subiu no ano y%. Quanto maior esse valor, mais feliz você tende a ficar.

Mas qual período analisar? Uma vez, conversando com o meu amigo Pedro Martins, ele me falou do rali do ano fiscal americano. Detalhe: o ano fiscal americano termina no dia 30 de setembro, então o rali seria do dia 30 de setembro até 31 de dezembro. Isso ocorre porque se consegue analisar a economia americana em um ano fiscal fechado, e possui um histórico recente de crescimento, refletindo na bolsa.

Fui olhar dados históricos, aproveitei e também tabelei os números da nossa bolsa, como coloquei abaixo.

* Dados até 23 de dezembro.

Nos últimos 21 anos a bolsa americana subiu 17 ocasiões (81% da amostra) nesse período e a brasileira 13 vezes (62%).  Portanto, essa lenda faz mais sentido para os EUA do que para o Brasil. Repare que a última vez que isso ocorreu no Brasil de forma consistente foi em 2011. Já nos EUA isso só não ocorreu em 2012 nos últimos anos.

Última semana do ano
E se analisarmos a última semana do ano, aquela que vai entre o Natal e o Ano Novo? Por que analisar esse período? Geralmente o volume diminui e com isso a força dos compradores fica maior do que os dos vendedores. Se há mais comprador de qualquer produto do que vendedor, o preço tende a subir. Mas o que será que ocorreu:

Se olharmos a tabela e as altas no período teremos que, nos EUA, de 21 vezes, subiu 12 vezes (57%) e no Brasil 14 vezes (67%). Aqui estamos melhores do que eles. Mas se repararmos os últimos anos, no Brasil teve uma alta 0,29% em 2013 e antes disso em 2010.

Conclusão
Olhando para a estatística do ano fiscal americano essa lenda funciona mais para os EUA do que para o Brasil. Se analisar o período da última semana do ano, funciona mais para o Brasil do que para os EUA.

Só que aqui a última semana do ano já não demonstra uma alta com consistência desde 2008, alguns leitores podem falar em 2010. Subiu, mas foi de apenas 1,2%. Se considerarmos a palavra rali, que para os operadores de bolsa significa uma alta considerável, isso não ocorre há 7 anos. Logo, não existe uma obrigação de sempre subir no final do ano. Ou seja, a lenda está sendo desfeita.

Este ano
Até agora a bolsa cai 11,99% aqui no Brasil, se subir vai ser naquela história de fechar o ano em melhores condições, para não ficar tão ruim para o setor de renda variável. E se considerarmos o ano tão turbulento que tivemos, essa queda é bem aceitável.

É importante notar que não existem motivos econômicos para uma alta nesta última semana do ano. E se repetirmos os últimos anos será uma bolsa entre de lado e em queda.

Vamos torcer para ocorrer a alta, mas será mais no sentido de todos ficarem felizes do que para uma consistência econômica. Não esqueçam que vários planos de previdência, principalmente os fechados, possuem uma participação considerável em ações.