Senadores: 24 perguntas para a Dilma

Alexandre Cabral

29 de agosto de 2016 | 10h14

Hoje (29 de agosto) a Presidenta Dilma irá ao Senado se defender no processo de impedimento que está sofrendo. Se eu fosse senador faria algumas perguntas. Quais seriam essas?

Antes das perguntas quero agradecer as sugestões recebidas pelos meus leitores no Facebook: Roberto de Carvalho Rodrigues (esse foi o que mais contribuiu nesse texto), Vinícius Bozsa, Fabiana Lima, Mauro Rodrigues Júnior, Billy Alima e Fred Silva. Meu muito obrigado! Esse texto também é de vocês.

As questões não seguem uma ordem de prioridade e sim do que fui pensando e escrevendo.

Pedaladas:

  1. O auditor Antônio Carlos Carvalho, no seu depoimento, no dia 09 de junho falou: “O Banco Central registra a dívida quando ocorre o financiamento. E quando ocorreu o financiamento? Quando, no primeiro dia posterior ao período de equalização, a União não transferiu o valor que a portaria editada pelo Ministério da Fazenda determinava que ele se tornasse devido. E que, se era devido e ele não transferiu, ocorreu o financiamento”

Isso para senhora é ou não financiamento? Logo, por definição uma pedalada.

  1. O auditor Antônio Carlos Carvalho no seu depoimento no dia 26 falou que os bancos privados receberam em dia os seus pagamentos. Logo questiono: senhora Dilma, se os bancos privados receberam em dia e os públicos não, posso considerar isso uma pedala? Já que onde a senhora possuía controle (bancos estatais) atrasava o pagamento, onde não possuía (bancos privados) honrava. Isso não seria poder de governança que tem sobre uns e não possui sobre outros? Por favor, me defina financiamento.
  1. Quando a Senhora foi informada da falta de recursos para o pagamento das equalizações do Plano Safra ao Banco do Brasil e a necessidade de atrasar o pagamento do Governo para o banco? Qual foi a sua orientação para a sua equipe?
  1. Sendo os Decretos, sem a prévia aprovação do Congresso, considerados ilegais e que a senhora os assinou, quem deveria ser responsabilizado por este ato?

 

Política:

  1. Em uma gravação o Ministro Aloízio Mercadante falou: “Não, não, mas o presidente vai ficar no exercício… também precisa conversar com o Lewandowsky. Eu posso falar com ele pra ver se a gente encontra uma saída. Mas eu vou falar com o ministro no Supremo também.”

A senhora acha que o seu governo era baseado em tráfico de influência?

Mesmo com uma gravação dessa, por que ainda manteve o Mercadante como ministro? Ele não deveria ter sido afastado para termos uma investigação mais livre?

 

  1. Você acha que o seu próprio partido a abandonou?

“Sem Lula, PT critica Dilma e diz que ela precisa apresentar compromisso sobre rumo do governo”. Estado de São Paulo, 17 de maio de 2016.

 

  1. Quando a senhora nomeou o ex-presidente Lula para Ministro da Casa Civil, foi pelo seu poder de articulação ou por ter medo da sua prisão? Mesmos sabendo que a população era contra a nomeação por que a senhora insistiu? A senhora não é o espelho da vontade do povo?

 

  1. A senhora sabia da fama do PMDB, por que mesmo assim concordou em se aliar ao partido? Era puro interesse na eleição e não para pensar na população. A senhora acha que seu partido vendeu a alma para o PMDB para continuar no poder? Onde fica a ideologia de partido nesse momento?

 

  1. Quem escolheu Temer como Vice da sua Chapa por duas vezes? A senhora considera ele traidor?

 

Economia

  1. Vamos imaginar uma história: o presidente de uma empresa chamada Brasil, contrata 30 diretores para ajudar a comandar essa empresa, com o tempo percebe que vários estão errando de forma profissional – por incompetência administrativa ou por algum escândalo de desvio de verba. Mesmo assim teima em manter os diretores. Esse presidente merece a confiança dos sócios? Ele não deveria ser demitido? Só porque o mandato dele foi escolhido para durar 4 anos, temos que manter um presidente que possui uma equipe que só comete erros e ainda possui vários boatos de negócios ilícitos?

A senhora manteria esse presidente no cargo?

 

  1. Durante a sua campanha eleitoral a senhora não reconheceu que a economia ia mal demais, foi avisada por vários economistas, sabia que ia precisar tomar várias decisões não populares assim que fosse reeleita. Como tomou, com destaque para aumento de combustíveis e energia.

Se a senhora sabia que a economia ia muito mal, por que preferiu ganhar a reeleição do que a pensar no povo brasileiro e tomar as medidas amargas durante o ano de 2014 e não deixar tudo para após as eleições? Qualquer médico sabe que se tratar o paciente antes da doença se alastrar, a cura, apesar de dolorosa é mais rápida. Por que preferiu deixar o paciente muito doente para depois tentar curar?

 

  1. Em menos de 24 horas de ter assumido o segundo mandato a senhora já chamou atenção publicamente do Ministro do Planejamento Nelson Barbosa, a senhora acha que comandar é chamar atenção pela imprensa?

“Dilma impõe a Barbosa recuo sobre regra do salário mínimo”. Estado de São Paulo, 03 de janeiro de 2015.

 

  1. Quando a senhora saiu do governo tínhamos o rating pior do que a Bolívia. Nada contra a Bolívia, mas…

A senhora acha que as principais agências de rating do mundo nos classificam assim devido a decisões erradas tomadas na área econômica pelo seu governo? A senhora teria coragem de pedir desculpa por tantos erros?

 

  1. Eu escrevi um texto em março que dizia que 6.776 pessoas perdem o emprego por dia no Brasil (286 pessoas por hora), durante esse seu depoimento 2.000 pessoas devem perder o emprego.

Como fica a sua consciência sabendo disso?

 

  1. O FMI divulga dados de 189 economias e durante o seu período de governo o nosso crescimento deve ser de posição 172.

A senhora acusa tanto a oposição ser responsável pela crise, mesmo com esse dado, a senhora ainda continua afirmando isso?

 

  1. Os 36 principais países do mundo (responsável por 90% do PIB mundial) devem crescer em média 2,57% esse ano, e nós devemos cair mais de 3%.

A senhora ainda acha que o culpado foi a oposição com as pautas bombas?

 

  1. A dívida do governo federal aumentou em média 0,64% ao mês no governo Lula. E no da senhora 1,54% ao mês.

Como explicar essa disparada da dívida no seu governo? Foi para pagar as pedaladas?

 

  1. A dívida do governo federal aumentou no último mês (março) do seu governo, o que a AMBEV vende em 2 anos.

Como a senhora explica que em 30 dias a nossa dívida aumente mais do que 720 dias de venda de umas das maiores cervejarias do mundo?

 

  1. No seu primeiro mandato a receita teve um aumento de 2,80% e a despesa disparou 16,46%.

Se a senhora afirmava que o país não passava por nenhuma crise, como conseguiu essa façanha da despesa disparar muito mais do que a receita?

 

  1. Se a senhora não gostava do Levy por que colocou como ministro? Para agradar o mercado financeiro e contrariar o seu eleitor? A senhora, para se manter no poder, abandonou o seu eleitor?

 

  1. A senhora para conseguir bater a meta de inflação baixou o preço da energia na canetada em 2013. Um dia essa conta ia chegar, e chegou justamente após a sua reeleição. A senhora acha que manipulou os números para ser reeleita?

 

  1. Por que as propostas indicadas pelo ministro Levy não tinham o seu apoio? O seu partido tinha uma resistência muito grande em apoiar as medias propostas pelo Levy.

 

  1. Com um dos maiores índices de desemprego dos últimos anos e com a inflação disparando.

A senhora dorme tranquila sabendo que é uma das principais causadoras desse problema?

 

Para terminar:

  1. A senhora se acha arrogante? Foi ela que te derrubou?

Tendências: