Ritmo de expansão do crédito pode recuar para os 13% desejados pelo BC

Yolanda Fordelone

27 de abril de 2011 | 15h48

Para o economista da corretora Gradual André Perfeito as armas do governo para apertar o crédito, como o aumento do IOF para algumas modalidades de empréstimo, já estão surtindo efeito sobre o crescimento do estoque de crédito no País.

Ele questiona, no entanto, se a desaceleração almejada, de 13%, será suficiente para conter a alta da inflação, que tem uma dinâmica complexa e influenciada por outros aspectos da economia.

 Ouça abaixo a entrevista completa:

Download

Tudo o que sabemos sobre:

Banco CentralCréditoinflação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.