“Não tenho noção do prejuízo que isso irá causar, já que o resto do mundo continua operando normalmente”

Estadão

30 Outubro 2012 | 14h42

Ouça entrevista

Ouça entrevista com o brasileiro Raiam dos Santos, que trabalha no Citigroup em Nova York e está há quatro dias em casa, por conta do Furacão Sandy, que foi rebaixado para ciclone nesta terça-feira, 30.

“Nós operamos no mundo inteiro, mas a bolsa de Nova York está fechada. Não tenho noção do prejuízo que isso irá causar, visto que o resto do mundo continua operando normalmente”, diz Santos.

Mais conteúdo sobre:

Furacão Sandy;nova york;economia