Ações da Repsol já precificam valor zero para YPF, diz Credit Suisse

Estadão

17 de abril de 2012 | 10h13

Daniela Milanese, correspondente

Londres – As ações da Repsol já precificam valor zero para a YPF, aponta o Credit Suisse. Os papéis da empresa espanhola operavam com queda de quase 7% na Bolsa de Madri, para 16,30 euros, às 9h40 (de Brasília).

Segundo o analista Thomas Adolff, não está claro quanto o governo da Argentina pagará pela expropriação da YPF, nem quando o valor será quitado. “Com base no precedente histórico, isso pode ir para arbitragem internacional e levar muitos anos”, diz o especialista do Credit Suisse, em relatório a clientes, ao lembrar que o caso dos ativos da Exxon tomados pela Venezuela em 2007 ainda não foi definido.

Conforme a lei de expropriação da Argentina, a compensação inclui apenas o valor objetivo da empresa, e não o seu preço hipotético. O valor patrimonial da YPF é de 4,1 bilhões de euros. Hoje, o presidente da Repsol, Antonio Brufau, disse que quer 8 bilhões de euros pela fatia de 51% na unidade argentina, o equivalente a cerca de 35 euros por ação.

O preço-alvo do Credit Suisse para os papéis da Repsol é de 25 euros por ação. Para Adolff, as ações embutem hoje um exagerado corte de 25% nos dividendos, mas a rentabilidade da empresa deve melhorar com o retorno da produção na Líbia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.