Alemanha paga yield baixo recorde em leilão de bônus para julho de 2044

Nayara Fraga

25 de julho de 2012 | 11h27

Por Danielle Chaves, da Agência Estado

FRANKFURT – A Alemanha teve um custo baixo recorde no leilão de dívida de longo prazo feito nesta quarta-feira, o primeiro desde que a agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a perspectiva do rating do país. Isso indica que os bônus alemães continuam sendo considerados a aposta mais segura para muitos investidores em busca de proteção da crise de dívida da zona do euro.

Foram vendidos 2,333 bilhões de euros (US$ 2,809 bilhões) em bônus com vencimento em julho de 2044 e cupom (juro nominal) de 2,50%, oferecendo yield (retorno ao investidor) médio de 2,17%. Esse é o menor yield já pago nesse segmento de maturação, abaixo do recorde anterior de 2,41%. A oferta de 3,0 bilhões de euros em bônus atraiu demanda de 3,367 bilhões de euros.

O montante retido para propósitos de mercado foi de 678 milhões de euros. A relação entre ofertas feitas e aceitas (bid-to-cover), que é uma medida da demanda, subiu para 1,5, de 1,1 no leilão anterior dos mesmos papéis.

Em um leilão separado a Alemanha vendeu 752 milhões de euros em bônus ligados à inflação com vencimento em abril de 2023 e cupom de 0,10%, oferecendo yield real de -0,39%, abaixo de -0,24% anteriormente. A oferta de 1 bilhão de euros atraiu demanda de 1,422 bilhão de euros e o montante retido para propósitos de mercado foi de 248 milhões de euros. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

Alemanhabônusleilão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.