Após abrir em alta, dólar perde força com atuação do BC e cai

Estadão

22 de julho de 2013 | 12h54

O dólar abriu em leve alta ante o real, mas o fôlego não durou muito e a moeda norte-americana operava em queda no início da tarde, após o Banco Central intervir no mercado. Às 12h51 (horário de Brasília), a moeda recuava 0,31%, a R$ 2,232. Na sexta-feira, o dólar à vista no balcão fechou em alta de 0,54%, a R$ 2,2390. No ano, o dólar acumula alta de 9,49% e, em julho, de 0,36%.

O BC vendeu nesta segunda-feira, 22, US$ 994,5 milhões em contratos de swap cambial, operação que equivale à venda de dólares no mercado futuro.

Na agenda doméstica, saiu o resultado do Bradesco e o investidor estará atento ainda no anúncio de cortes do Orçamento.

A expectativa no mercado é de que o corte no Orçamento fique num intervalo entre R$ 9 bilhões e R$ 12 bilhões e, conforme apurou o jornal O Estado de S.Paulo, o governo deve desistir da meta de 2,3% para o superávit primário, preferindo economizar só 1,8% do PIB. Além disso, a previsão de crescimento da economia este ano deve ser rebaixada a 3%.

Hoje, o Bradesco, primeiro grande banco privado a divulgar resultados referentes ao segundo trimestre deste ano, anunciou lucro líquido contábil de R$ 2,949 bilhões, aumento de 4,1% na comparação com o resultado visto de abril a junho de 2012, de R$ 2,833 bilhões. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, a expansão foi de 1,0%. De janeiro a junho, o lucro líquido do banco foi de R$ 5,868 bilhões, crescimento de 4,3% ante o mesmo período de 2012. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio do Bradesco encerrou junho em 18,8% contra 20,6% visto no segundo trimestre de 2012. Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, a queda foi de 0,7 ponto porcentual.

Tudo o que sabemos sobre:

dólar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.