Bolsas asiáticas caem com Wall Street e temores de recessão

Yolanda Fordelone

23 de setembro de 2011 | 07h56

A maioria das Bolsas da Ásia encerrou em baixa, no embalo da forte queda registrada em Wall Street na véspera e em meio aos temores de uma recessão global. Não houve negociações na Bolsa de Tóquio por ser feriado no Japão.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que encerrou no menor patamar em 26 meses. Em sessão volátil, os investidores estiveram relutantes em segurar suas posições, apesar da recuperação em algumas ações retardatárias. O índice Hang Seng caiu 243,12 pontos, ou 1,4%, e encerrou aos 17.668,83 pontos, o pior fechamento desde 13 de julho de 2009 – na semana, o índice acumulou queda de 9,2%. Swire Pacific teve o pior desempenho entre as blue chips, ao recuar 6,4%. As ações relacionadas a commodities também mostraram fraqueza: Chalco deslizou 5,6%, China Coal perdeu 4% e Citic Pacific retrocedeu 5,7%.

As Bolsas da China fecharam em queda, também influenciadas pelas incertezas sobre o crescimento da economia doméstica. O índice Xangai Composto perdeu 0,4% e terminou aos 2.433,16 pontos – na semana, o índice apresentou baixa de 2%. O índice Shenzhen Composto recuou 0,9% e fechou aos 1.060,67 pontos. As ações de metais foram as mais afetadas por conta das perdas na Bolsa de Metais de Londres. Jiangxi Copper baixou 3,3% e Shandong Gold-Mining caiu 2,8%. As informações são da Dow Jones

(Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado)

Leia tudo sobre os mercados financeiros e a crise econômica nos Estados Unidos e Europa

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsa

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.