Bolsas asiáticas fecham sem direção única após anúncio do Fed nos EUA

Estadão

13 de dezembro de 2012 | 08h33

Antonio Rogério Cazzali e Lucas Hirata, da Agência Estado

TÓQUIO – Os mercados de ações da Ásia fecharam sem direção única após o anúncio de ontem do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve.

O banco central dos Estados Unidos informou que vai substituir a “Operação Twist” (compra de títulos de longo prazo e venda de papéis de curto prazo) por uma política mais direta de compra de ativos, o que pode elevar o montante mensal de capitais que o Fed injeta na economia para US$ 85 bilhões, dos US$ 40 bilhões estabelecido anteriormente. A principal surpresa foi o anúncio do banco de que manterá as taxas de juros próximas a zero até que o desemprego caia abaixo de 6,5%.

Na Austrália, a Bolsa de Sydney fechou praticamente estável, com o setor de recursos se beneficiando das medidas do Fed. O índice S&P/ASX 200 fechou em ligeira queda de 0,02%, aos 4.582,80 pontos. As ações da BHP Billiton e da Rio Tinto reverteram os declínios da manhã e subiram, respectivamente, 0,7% e 0,9%, uma vez que, segundo os analistas, as medidas de relaxamento quantitativo do Fed poderão impulsionar os preços das commodities.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em leve queda de 0,3%, aos 22.445,58 pontos, após atingir a máxima em 16 meses ao longo da sessão anterior.

Na China, as ações fecharam em baixa, com os investidores fazendo uma pausa para reorganizar suas posições antes da reunião anual de formuladores de políticas que traçará as metas econômicas para o próximo ano. O índice Xangai Composto recuou 1,0%, ou 21,25 pontos, a 2.061,48 pontos, depois de acumular uma alta de 6,3% nas últimas sete sessões. O índice Shenzhen Composto caiu 1,2%, ou 9,43 pontos, a 783,86 pontos. A China deverá realizar a Conferência Central de Trabalho Econômico no sábado e domingo, informou o grupo de mídia Caixin, citando pesquisadores não identificados do governo. As informações são da Dow Jones. 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Ásiabolsas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.