Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsas asiáticas iniciam semana em forte elevação

Yolanda Fordelone

24 de outubro de 2011 | 08h05

As Bolsas da Ásia apresentaram um forte desempenho. O rali foi estimulado pela forte alta em Wall Street, ocorrida na sexta-feira, e pelas expectativas de que o encontro de cúpula da União Europeia irá encontrar uma solução para a crise da dívida europeia. O mercado tailandês não operou devido a um feriado local.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, também alavancada pela redução das preocupações sobre o crescimento econômico da China, após a divulgação dos bons números de setembro sobre a indústria manufatureira. O índice Hang Seng disparou 746,10 pontos, ou 4,1%, e fechou aos 18.771,82 pontos. Todas as 46 blue chips fecharam no campo positivo. Entre as imobiliárias, China Overseas Land avançou 9%, enquanto China Resources Land teve rali de 10%.

A Bolsa de Tóquio fechou em alta. Dados sobre a atividade manufatureira da China ajudaram a sustentar o entusiasmo dos investidores por empresas diretamente expostas ao mercado chinês, como Fanuc e Komatsu. O índice Nikkei 225 adicionou 165,09 pontos, ou 1,9%, aos 8.843,98 pontos.

O fortalecimento da atividade manufatureira fez as Bolsas da China fechar em elevação, encerrando quatro pregões seguidos de perdas. O índice Xangai Composto subiu 2,3% e terminou aos 2.370,33 pontos. O índice Shenzhen Composto ganhou 1,9% e encerrou aos 977,03 pontos. Destaque para o setor financeiro, com China Minsheng Banking em elevação de 2,4%. Ping An Insurance adicionou 5,3%. Bank of China faturou 1,4%.

As informações são da Dow Jones

(Hélio Barboza e Ricardo Criez, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

Ásiabolsa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: