Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas asiáticas seguem em queda

Yolanda Fordelone

21 de março de 2012 | 07h59

A maioria dos mercados da Ásia fechou no campo negativo nesta quarta-feira, estendendo as perdas da véspera. As crescentes preocupações sobre a desaceleração da economia da China nortearam os investidores.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que fechou no vermelho pelo quarto pregão seguido. O índice Hang Seng perdeu 31,61 pontos, ou 0,2%, e encerrou aos 20.856,63 pontos. As empresas de recursos naturais China Coal e China Resources Power baixaram 2,8% cada uma. A gigante imobiliária Cheung Kong caiu 2,1%, mesmo porcentual de recuo da China Resources Land.

No retorno após o feriado de ontem, a Bolsa de Tóquio fechou em queda. Os investidores venderam ações da Fanuc e de outras empresas sensíveis à China. Já os papéis da Sumitomo Mitsui Trust Holdings levaram o segmento financeiro para baixo, após a notícia de que o governo japonês abriu investigação de “insider trading” em uma unidade da Sumitomo.

O Nikkei caiu 55,50 pontos, ou 0,6%, e terminou aos 10.086,49 pontos, após alta de 0,1% na sessão de segunda-feira – foi a primeira baixa do índice em seis sessões. O volume de negociações foi de 2,1 bilhões de ações.

Já as Bolsas da China fecharam estáveis. O sentimento do investidor se enfraqueceu após o fundo de pensão nacional informar que não iria usar o grosso dos novos fundos sob a sua gestão para investir em ações. O índice Xangai Composto subiu apenas 0,1% e terminou aos 2.378,20 pontos. O índice Shenzhen Composto perdeu somente 0,1% e encerrou aos 971,93 pontos. Os principais bancos tiveram resultados mistos, com a contínua correção do mercado. China Minsheng Banking esteve estável, Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) ganhou 0,2%. O setor de metais se recuperou, com Chalco atingindo a alta limite diária de 10%.

O yuan subiu ante o dólar, com vendas para realização de lucros. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3229 yuans, de 6,3241 yuans ontem. O banco central fixou a taxa de paridade central em 6,3092 yuans, de 6,3029 yuans na véspera.

As informações são da Dow Jones.

(Antonio Rogério Cazzali, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsas

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: