Bolsas da Ásia apresentam sinais mistos

Mariana Congo

26 de julho de 2012 | 08h27

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado

TÓQUIO – Os mercados asiáticos encerraram os pregões sem tendência definida nesta quinta-feira.

A Bolsa de Hong Kong fechou praticamente estável. A presença de investidores em busca de ofertas de ocasião acabou ofuscada pelo nervosismo da temporada de balanços. O Hang Seng subiu apenas 0,1% e terminou aos 18.892,79 pontos, após declínio de 3,9% entre segunda e quarta-feira. As imobiliárias lideraram a recuperação entre as blue chips, após as recentes correções. China Overseas Land ganhou 2,9%.

Já as Bolsas da China fecharam no pior nível em mais de três anos, derrubadas pelas preocupações dos investidores sobre a desaceleração da economia doméstica em meio à crise da dívida da zona do euro. O Xangai Composto perdeu 0,5% e terminou aos 2.126,00 pontos, o pior fechamento desde 9 de março de 2009. O Shenzhen Composto recuou 0,8%, aos 880,76 pontos. As imobiliárias lideraram novamente as perdas: China Vanke retrocedeu 2,1%, Gemdale baixou 2,7% e Poly Real Estate desabou 3,9%.

A Bolsa de Tóquio fechou em alta nesta quinta-feira, encerrando quatro pregões seguidos de queda. Os ganhos na peso pesado Fanuc compensaram as perdas em blue chips como Canon. Já os papéis da Nomura Holdings saltaram 5,7%, após a empresa anunciar a demissão de seus principais executivos após o escândalo de insider trading.

O Nikkei subiu 77,20 pontos, ou 0,9%, e terminou aos 8.443,10 pontos, após cair 1,4% na sessão de quarta-feira. O volume de negociações subiu para 1,9 bilhão de ações, o melhor resultado desde 29 de junho, em parte porque o preço subvalorizado das ações atraiu o apetite de compra dos investidores. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsaChinahong kongtóquio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.