Bolsas da Ásia desabam com crise da zona do euro

Yolanda Fordelone

15 de dezembro de 2011 | 08h31

As bolsas asiáticas fecharam no campo negativo nesta quinta-feira, 15.  As preocupações sobre o aprofundamento da crise da dívida da zona do euro atingiram o sentimento dos investidores, que continuaram desorientados.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que também sofreu com os temores sobre a desaceleração da economia da China. O índice Hang Seng caiu 327,59 pontos, ou 1,8%, e fechou aos 18.026,84 pontos, na sexta sessão seguida de perdas. O setor energético liderou o declínio – apenas seis das 48 blue chips terminaram no azul. Cnooc perdeu 4,6%, com a baixa nos preços do petróleo. PetroChina baixou 3% e China Coal perdeu 3,1%.

As preocupações derrubaram a Bolsa de Tóquio, no Japão, que recuou para o menor índice em duas semanas. Nesta quinta-feira, o Nikkei perdeu 141,76 pontos, ou 1,7%, e encerrou aos 8.377,37 pontos, após baixa de 0,4% na sessão anterior. Foi o quinto pregão no campo negativo nas últimas seis sessões, com perda de 4% no período.

Na China, as bolsas fecharam em baixa pelo sexto pregão seguido, com novamente o pior nível em 33 meses, devido ao contínuo pessimismo sobre as perspectivas econômicas do país. Estendendo as perdas de 4,5% nas últimas cinco sessões, o índice Xangai Composto caiu 2,1% e terminou aos 2.180,90 pontos, o pior fechamento desde 16 de março de 2009. O índice Shenzhen Composto perdeu 2,3% e encerrou aos 886,01 pontos. As mineradoras de carvão e as empresas de metais lideraram o declínio.

As informações são da Dow Jones.

(Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.