Bolsas da Ásia despencam com temores sobre crise europeia

Mariana Congo

23 de julho de 2012 | 08h39

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado

TÓQUIO – Os mercados asiáticos iniciaram a semana com quedas acentuadas. As preocupações sobre a crise da dívida da Europa, após os custos dos empréstimos para a Espanha atingirem nível recorde na sexta-feira, derrubaram os mercados da região.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que sofreu a sua segunda maior queda porcentual diária no ano, alavancada ainda pelo peso pesado HSBC, que despencou 5,7% com as preocupações sobre suas operações bancárias na Europa. O Hang Seng deslizou 3% e terminou aos 19.053,47 pontos. China Pacific desabou 10%. Citic Securities recuou 7,3%.

As Bolsas da China encerraram em queda, também por causa das perdas em Wall Street na sexta-feira e os temores sobre a economia doméstica. O Xangai Composto caiu 1,3% e terminou aos 2.141,40 pontos, a pior pontuação em 2012. O Shenzhen Composto perdeu 1%, aos 886,47 pontos. Entre as imobiliárias, China Vanke recuou 1%, Gemdale deslizou 0,2% e Shanghai Xinmei retrocedeu 5%.

A Bolsa de Tóquio fechou em queda acentuada pelo segundo pregão seguido nesta segunda-feira. O índice Nikkei teve o pior resultado em seis semanas, com a renovada desvalorização do euro em relação ao iene. Isso pesou nas ações das principais exportadoras, sensíveis aos movimentos do câmbio, como Sony, que perdeu 4,1%, e Ricoh, que deslizou 7%.

O Nikkei caiu 161,55 pontos, ou 1,9%, e terminou aos 8.508,32 pontos, após perda de 1,4% na sessão de sexta-feira – foi a pior pontuação desde 8 de junho. O volume de negociações recuou para 1,4 bilhão de ações, o menor desde 11 de julho.
As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsaChinahong kongtóquio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.