Bolsas da Ásia fecham em queda sob influência de Europa e balanço da Apple

Mariana Congo

25 de julho de 2012 | 08h53

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado

TÓQUIO – Os mercados asiáticos encerraram os pregões em baixa nesta quarta-feira. As preocupações com a crise da dívida da Europa e o decepcionante balanço trimestral da Apple, que derrubou os fabricantes de tecnologia na Ásia, acabaram com o otimismo dos investidores.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong. O Hang Seng caiu 0,14% e terminou aos 18.877,33 pontos.

As Bolsas da China também tiveram queda, com os investidores preocupados em saber quando a economia doméstica irá melhorar. O Xangai Composto perdeu 0,5% e terminou aos 2.136,15 pontos. O Shenzhen Composto recuou 0,7%, aos 887,54 pontos. As imobiliárias lideraram as perdas: China Vanke retrocedeu 2,5%, Gemdale baixou 3% e Shanghai Xinmei desabou 3,5%.

A Bolsa de Tóquio fechou em queda pelo quarto pregão seguido nesta quarta-feira. O decepcionante balanço da Apple nos Estados Unidos derrubou as principais ações do setor tecnológico, casos de Toshiba, que despencou 7,3%, e Sharp, que tombou 10% – ambas são fornecedoras de componentes para produtos da gigante norte-americana.

O Nikkei caiu 122,19 pontos, ou 1,4%, e terminou aos 8.365,90 pontos, após perda de 0,2% na sessão de terça-feira – o índice ficou abaixo dos 8.400 pontos pela primeira vez desde 5 de junho.

O sentimento do mercado também foi afetado pelas perdas em Wall Street, por causa das preocupações persistentes sobre a crise da dívida da zona do euro. Dados de junho da balança comercial japonesa, divulgados pouco antes da abertura da bolsa, mostraram exportações lentas para a Europa e a China, o que reacendeu os temores sobre uma desaceleração econômica global. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsaChinahong kongtóquio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.