Bolsas da Ásia fecham no campo negativo

Estadão

30 de agosto de 2012 | 08h21

Antonio Rogério Cazzali, Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos

TÓQUIO – Os mercados asiáticos encerraram em queda nesta quinta-feira. As bolsas da região apresentaram fraqueza à véspera do pronunciamento do presidente do Fed, Ben Bernanke, sobre a perspectiva econômica dos EUA, na sexta-feira.

Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que sofreu ainda com o peso da fraqueza nas ações do setor imobiliário, em mais uma sessão de fraco volume de negociações. O Hang Seng caiu 1,2% e terminou aos 19.552,91 pontos. Cheung Kong desabou 2,7% e Sun Hung Kai Properties despencou 3,6%.

Já a Bolsa de Xangai, na China, fechou estável. Os investidores encontraram poucos novos dados econômicos para digerir. A mais recente expansão do governo feita nas margens de negociações mostrou pouco impacto sobre o sentimento geral. O Xangai Composto terminou aos 2.052,59 pontos. Já o Shenzhen Composto desabou 1,8%, aos 835,95 pontos. No setor bancário, Bank of Communications ganhou 0,9% e Bank of China subiu 1,1%.

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa, com forte peso de ações cíclicas como Komatsu e JFE Holdings. A fraqueza das bolsas asiáticas alimentou o crescimento das preocupações globais, especialmente na China.

O Nikkei caiu 86,03 pontos, ou 1%, e terminou aos 8.983,78 pontos, após alta de 0,4% na sessão de quarta-feira – o índice ficou abaixo do nível psicológico dos 9 mil pontos pela primeira vez desde 15 de agosto.

Fortes leituras sobre a economia dos EUA, como o PIB do segundo trimestre, falharam em dar suporte ao mercado. “Embora os dados econômicos norte-americanos não tenham sido ruins, os resultados vieram amplamente em linha com as expectativas do mercado”, disse Kenichi Hirano, analista de mercado da Tachibana Securities. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesÁsiabolsaChinahong kongtóquio

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.