finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsas da Ásia têm resultados mistos à espera de leilão da Espanha

Yolanda Fordelone

19 de abril de 2012 | 07h56

As Bolsas da Ásia tiveram fechamentos sem tendência única, uma vez que os investidores adotaram uma atitude conservadora antes do leilão de títulos da Espanha e o resultado modesto em Wall Street pôs um freio nos negócios. As atenções voltaram-se ao leilão de bônus de 2 e 10 anos da Espanha – que acabou vendendo pouco mais do que o esperado, com yield mais alto para os papéis mais longos.

No Japão, o Nikkei caiu 78,88 pontos, ou 0,8%, e terminou aos 9.588,38 pontos, após avançar 2,1% na sessão de quarta-feira. O volume de negociações seguiu fraco, com 1,6 bilhão de ações.

A Bolsa de Hong Kong fechou em alta, com destaque para as seguradoras chinesas, devido a expectativas de que Pequim deve afrouxar sua política monetária para apoiar o crescimento econômico. O índice Hang Seng subiu 1.0% e encerrou aos 20.995,01 pontos. O volume de negócios, contudo, foi ameno, por causa da expectativa com o leilão de títulos da Espanha. As seguradoras chinesas, principais beneficiárias de uma flexibilização da política monetária, tiveram alta depois de relatório da agência oficial Xinhua de que o banco central irá aumentar a liquidez. China Life subiu 3,9%, Ping An ganhou 3.0% e China Pacific Insurance avançou 3,8%. Cnooc valorizou 1,6% após ter informado a dimensão do campo de petróleo cru em Penglai na baía de Bohai, descoberto em 2010. A varejista de roupas Esprit foi na contramão e caiu 1,2%, por causa de realizações de lucros após a forte alta de ontem.

A Bolsa de Xangai, na China, fechou estável. O otimismo após a notícia de que o banco central irá aumentar a liquidez acabou ofuscado pelas preocupações sobre a desaceleração da economia doméstica. O índice Xangai Composto terminou aos 2.378,63 pontos. Já o índice Shenzhen Composto caiu 0,2% e terminou aos 954,27 pontos. As montadoras chineses se beneficiaram da decisão de Pequim de expandir o financiamento para veículos elétricos e híbridos. Chongqing Changan Automobile ganhou 0,6%, Dongfeng Automobile subiu 1,7% e Dongfeng Electronic Technology adicionou 4%.

O yuan caiu ante o dólar com magro volume de negócios depois de o banco central conduzir a moeda para baixo por meio da taxa de referência diária. No mercado de balcão, o dólar fechou aos 6,3039 yuans, de 6,3029 yuans ontem. Com isso, a divisa chinesa recuou 0,2% ante o dólar este ano.  A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,3004 yuan, de 6,2948 yuans na véspera.

As informações são da Dow Jones.

(Antonio Rogério Cazzali, Ricardo Criez e Carlos Mercuri, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

açõesmercado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: