Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsas da Ásia têm resultados mistos

Estadão

24 de abril de 2012 | 08h18

Antonio Rogério Cazzali e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado

TÓQUIO – As Bolsas da Ásia encerraram em resultados mistos, em alta em sua maioria, na ausência de novidades sobre os países endividados da zona do euro, após o colapso na Holanda ontem. A Bolsa de Hong Kong fechou em alta, com os caçadores de barganhas impulsionando o mercado logo cedo, embora os ganhos tenham sido contidos mais tarde devido à fraca performance das Bolsas chinesas em meio a preocupações sobre a economia do país. O índice Hang Seng subiu 0,3% e encerrou aos 20.771,79 pontos.

Papéis de empresas relacionadas à China tiveram os piores desempenhos, como Cnooc, que cedei 0,3%. Alguns bancos chineses também declinaram, casos de ICBC (0.4%) e Bank of China (estável). As Bolsas da China encerraram estáveis, com as incertezas dos investidores acerca das perspectivas para a economia do país. As companhias estreantes listadas na ChiNext caíram sensivelmente, com temores de risco de sua exclusão da bolsa. O índice Xangai Composto fechou aos 2.388,83 pontos e o Shenzhen Composto teve baixa de 0,9%, terminando aos 936,51 pontos. Listada no ChiNext, Shanghai Safbon Water, Beijing Easpring Material Technology e JiangSu Jin Tong Ling Fluid Machinery tombaram 10% – limite diário de baixa.

Companhias de metal também tiveram baixa após dados mostrando contração da economia da zona do euro. Jiangxi Copper cedeu 0,4%, Zhuzhou Smelter Group perdeu 2,1% e Western Resources declinou 3,7%. O yuan teve leve alta ante o dólar, apesar de o banco central conduzir a moeda chinesa para baixo via taxa de referência diária após o início dos negócios. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,3073 yuans, de 6,3088 yuans ontem. A taxa de paridade central dólar-yuan foi fixada em 6,3003 yuans, de 6,2970 yuans na véspera.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em baixa com as incertezas sobre a nova geração do iPhone da Apple e o retorno do imposto sobre ganho de capital que está pesando sobre o mercado. O índice Taiwan Weighted fechou em baixa de 0,35%, aos 7.481,09 pontos. As ações das empresas tecnológicas foram as que mais perderam. TPK caiu 3,1%, Wintek recuou 6,8% e Largan perdeu 6,8%. Os papéis da HTC, entretanto, subiram 2,4%.

A Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, encerrou o dia em leve queda, diante da falta de novidades encorajadoras e na expectativa da divulgação de dados do Japão e dos EUA. O índice Kospi recuou 0,12% e terminou aos 1.972,63 pontos. Os papéis da LG Chem caíram 0,8%, enquanto os da Hyundai Engineering retrocederam 2,3%. Woori Finance caiu 3,3%, após o anúncio do governo de que irá retomar o processo de privatização da instituição. Na Austrália, a Bolsa de Sydney também fechou em baixa, com os investidores de lado, esperando dados e eventos importantes que serão divulgados nesta semana – como o índice de inflação doméstico e o resultado da reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

O índice S&P/ASX recuou 0,32% e encerrou aos 4.352,40 pontos. O mercado sucumbiu à realização de lucros nos setores de energia, mineração e consumo discricionário, entre outros. BHP Billiton, Newcrest Mining, Fortescue Metals, Origin, Santos, Crown, Brambles e CSL caíram entre 0,5% e 1,6%. A Bolsa de Cingapura teve alta, em contraponto ao declínio dos mercados globais, por causa da visão de que as perspectivas econômicas para a região superam as do Ocidente. O índice Straits Times subiu 0,4% e fechou aos 2.974,37 pontos. O índice PSE da Bolsa de Manila, nas Filipinas, terminaram em alta de 0,1%, aos 5.169,60 pontos. Philex Mining subiu 6,9%, Megaworld ganhou 2,8%. O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, teve alta de 0,4% e fechou aos 4.170,35 pontos, com os investidores procurando por papéis baratos antes do anúncio de lucros das companhias.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, subiu 0,9% e fechou aos 1.199,86 pontos, com expectativas dos investidores de as empresas anunciarem grandes lucros no primeiro trimestre. O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, terminou estável, aos 1.582,28 pontos.

A Bolsa de Tóquio caiu nesta terça-feira com o nervosismo renovado sobre a economia na zona do euro, o que trouxe pressão de venda sobre os papéis da Canon, Konica Minolta e outras ações muito expostas às vulnerabilidades da região. O índice Nikkei caiu 74,13 pontos, ou 0,78%, para 9.468,04 pontos seguindo o recuo de 0,2% assinalado no pregão anterior. Esta foi a quarta queda consecutiva do índice, e seu 16º recuo nas últimas 20 sessões.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: