coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Bolsas da Europa fecham em alta com dado da Alemanha e leilão grego

Estadão

08 de maio de 2013 | 13h36

Stefânia Akel, da Agência Estado

As bolsas europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, impulsionadas pelo crescimento maior que o esperado da produção industrial da Alemanha, um leilão bem-sucedido da Grécia e balanços corporativos. A Bolsa de Frankfurt alcançou um novo recorde de fechamento hoje e o índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou a sessão com alta de 0,64%, a 303,67 pontos, estendendo os ganhos de ontem, quando fechou no maior nível desde maio de 2008.

A produção industrial da Alemanha, a maior economia da zona do euro, superou as expectativas em março, com um aumento de 1,2% na comparação com fevereiro, em base ajustada, segundo dados do Ministério da Economia. A estimativa dos economistas consultados pela Dow Jones era de queda de 0,2%. O resultado é a segunda surpresa positiva sucessiva sobre a economia alemã, em seguida à publicação ontem de dados melhores do que o esperado sobre encomendas à indústria do país.

“Após o forte aumento de ontem nas encomendas à indústria, a leitura de hoje da produção industrial forneceu mais evidência empírica de uma reviravolta em dados importantes”, afirmou o UniCredit.

O leilão bem-sucedido da Grécia também animou os investidores hoje. A Agência de Administração da Dívida Pública do país vendeu 1,3 bilhão de euros (US$ 1,7 bilhão) em títulos de 26 semanas, a um yield (retorno ao investidor) uniforme de 4,20%, um pouco abaixo do juro de 4,25% pedido na oferta anterior, realizada em 9 de abril. A relação entre ofertas feitas e aceitas, que é uma medida de demanda, subiu de 1,60 para 1,71.

Uma autoridade da zona do euro afirmou hoje que a Grécia pode esperar garantir na próxima segunda-feira a aprovação de mais uma parcela de seu programa de ajuda, no total de 7,5 bilhões de euros (US$ 9,81 bilhões). No mesmo dia, o Chipre deverá receber a primeira parcela de seu pacote de resgate, no valor de 3 bilhões de euros, acrescentou a fonte. O Eurogrupo, formado por ministros de Finanças da zona do euro, vai se reunir em Bruxelas na segunda-feira e deverá aprovar as duas próximas tranches para a Grécia, de 4,3 bilhões de euros em maio e 3,3 bilhões de euros em junho, detalhou a fonte. Com o noticiário positivo, o índice ASE da Bolsa de Atenas avançou 6,1% e fechou a 1.043,28 pontos.

O índice DAX da Bolsa de Frankfurt ganhou 0,83%, fechando a 8.249,71 pontos, um novo recorde, após atingir a máxima intraday também inédita de 8.253,47 pontos. As ações da Deutsche Telekom subiram 4,7% e a Henkel avançou 5,0%.

Em Londres, o índice FTSE teve alta de 0,40%, encerrando a sessão a 6.583,48 pontos. A Next ganhou 4,4% após um balanço positivo e a Evraz avançou 3,1% após um upgrade. Já a Standard Chartered recuou 4,4% devido a resultados decepcionantes. Amanhã, o Banco da Inglaterra (BoE) fará seu anúncio de política monetária.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 avançou 0,89%, a melhor performance do dia, e fechou a 3.956,28 pontos. EADS ganhou 1,3% após um upgrade do Credit Suisse e o Société Générale teve alta de 1,9%. Já a Alstom recuou 2,1% após resultados decepcionantes e um downgrade do Barclays.

O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, ganhou 0,78% e fechou a 17.255,57 pontos. Em Madri, o índice IBEX-35 subiu 0,62%, a 8.597,00 pontos. Já na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 ficou na contramão e recuou 1,42%, fechando a 6.266,33 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

bolsas da europa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: