Bolsas da Europa fecham em queda com temores sobre bancos; Bovespa cai

Estadão

21 de dezembro de 2011 | 15h53

Os principais índices das bolsas europeias fecharam em queda nesta quarta-feira. O recuo ocorreu após o leilão de longo prazo do Banco Central Europeu (BCE), à medida em que o resultado da operação gerou temores sobre os bancos. As perdas da SAP, do setor de softwares, e das farmacêuticas também pesaram.

O índice pan-europeu Stoxx 600 registrou queda de 0,51%, ou 1,22 ponto, para 237,29 pontos. O índice subia 1,3%, momentos após o leilão do BCE, mas rapidamente recuou, em meio a sinais de que os bancos europeus necessitavam de mais suporte. O BCE informou que 523 bancos requisitaram 489 bilhões de euros (US$ 641 bilhões) em financiamento da instituição, para reforçar a liquidez. Uma pesquisa da Reuters previa que os pedidos de financiamento ficariam em 310 bilhões de euros.

“A boa notícia é que muitos bancos estarão bem financiados ao longo dos próximos três anos. Eles precisam alocar dinheiro no curto prazo e comprarão bônus soberanos de países europeus, obviamente”, afirmou Christian Tegllund Blaabjerg, economista-chefe do FIH Erhvervsbank. “Mas, do outro lado da moeda, também sinaliza que mais bancos que o originalmente previsto precisam de capital, e isso foi uma notícia negativa”, notou ele. “Isso de certa maneira quer dizer que o setor bancário está bem pior que o originalmente previsto.”

As ações do setor de tecnologia estavam entre as principais perdedoras nesta quarta-feira. As ações da alemã SAP perderam mais de 6%, após a rival Oracle desapontar em seu relatório sobre lucros. As ações da Oracle perdiam mais de 13% no meio da manhã nos EUA.

Em Frankfurt, o índice DAX teve baixa de 0,95%, para 5.791,53 pontos. O pior desempenho na Alemanha foi da SAP, com recuo de 6,1%. Metro perdeu 3,8%, e K+S recuou 2,8%, enquanto a companhia do setor de energia E.On perdeu 1,6%. As ações do setor de automóveis tiveram ganhos, com BMW (+0,6%) e Daimler (1,6%).

As ações de bancos, que subiam no início do dia, reverteram o curso. Em Paris, os grandes bancos Société Générale (-3,4%) e Crédit Agricole (-2,1%) tiveram fortes baixas.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, fechou em queda de 0,82%, para 3.030,47 pontos. Os bancos permaneceram em foco, após advertência divulgada pela Fitch. BNP Paribas recuou 3%. As ações da varejista Carrefour recuaram 4,7%.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 caiu 0,55%, para 5.389,74 pontos. As ações do Lloyds compensaram as perdas do restante do setor bancário, avançando 5,5% após o Exane BNP Paribas elevar sua recomendação para essa ação, de “underperform” para “outperform”. As companhias do setor de energia caíram, com BG recuando 1,6% e BP perdendo 1%.

Na Bolsa de Milão, o FTSE MIB registrou queda de 0,97%, para 14.819,86 pontos.

Em Madri, o Ibex 35 teve queda de 0,90%, para 8.378,40 pontos. Sacyr-Vallehermoso caiu 6,2%, corrigindo em parte a alta do dia anterior após um refinanciamento de dívida. Telefónica caiu 1,3% e Santander recuou 1,4%. Em Lisboa, o PSI 20 teve recuo de 1,33%, para 5.279,59 pontos. As informações são da Dow Jones.

(Gabriel Bueno, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

banco central europeubolsaseuropa

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.