Bolsas de NY abrem em alta com expectativa sobre ação do BCE

Bianca Pinto Lima

26 de setembro de 2011 | 11h01

As Bolsas de Nova York abriram em leve alta nesta segunda-feira, 26, após as acentuadas quedas da semana passada, enquanto os investidores avaliam se as autoridades da zona do euro conseguirão controlar a crise da dívida soberana. Às 10h48 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,96%, Nasdaq ganhava 0,12% e S&P tinha alta de 0,66%.

Os mercados de ações na Ásia registraram fortes quedas hoje, mas o sentimento melhorou um pouco durante a sessão na Europa, com expectativas de que o Banco Central Europeu (BCE) pode cortar sua taxa de juros na reunião de 6 de outubro, além da notícia divulgada pela Bloomberg de que o banco central estaria estudando retomar um programa de compra de bônus cobertos.

Enquanto outros bancos centrais do mundo têm mantido as taxas de juros em níveis muito baixos, o BCE elevou a taxa básica nos últimos meses, chegando ao nível atual de 1,5%, para tentar conter a inflação. Mas com a piora da crise e a possibilidade de uma recessão no bloco aumentando, o banco central pode ser obrigado a rever sua política monetária.

No fim de semana, os líderes econômicos globais, reunidos em Washington para a reunião do FMI e do G-20, tentaram agir em harmonia e afirmaram que a Europa fará o que for preciso para resolver a crise. Entretanto, ainda não está claro se os membros do bloco conseguirão superar suas diferenças e responder rápida e efetivamente à crise. Muitos observadores se mostraram preocupados com o crescente perigo de um default da Grécia.

No cenário interno dos EUA, o Federal Reserve de Chicago divulgou que o índice nacional de atividade recuou para -0,43 em agosto, da leitura revisada de 0,02 em julho. Mais da metade dos 85 indicadores observados pelo Fed se deterioraram na comparação mensal. Às 11h, o Departamento de Comércio libera os dados sobre as vendas de moradias novas.

Os rumores sobre novas ações do BCE deram certo suporte para o euro, que reduziu as perdas registradas mais cedo e às 10h15 estava cotado a US$ 1,3471, de US$ 1,3499 no fim da tarde de sexta-feira. O dólar recuava para 76,37 ienes, de 76,64 ienes. O ouro spot tinha queda de 1,91%, a US$ 1.620,11 a onça-troy.

No campo corporativo, as ações da Netflix subiam 4,55%, após a companhia chegar a um acordo com a DreamWorks para transmitir seus filmes e especiais para televisão. Os papéis da Eastman Kodak despencavam 23,53%. A empresa informou na noite de sexta-feira que tomou um empréstimo de US$ 160 milhões para “objetivos corporativos gerais”, assustando acionistas, que têm acompanhado de perto a posição de caixa da companhia. As informações são da Dow Jones.

(Álvaro Campos, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

bolsasnova york

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.