Bolsas de NY caem após indicadores fracos

Estadão

19 de abril de 2012 | 11h24

Álvaro Campos e Clarissa Mangueira, da Agência Estado

As bolsas de Nova York se enfraqueceram após a divulgação de uma série de indicadores, apesar dos indicadores futuros apontarem que o pregão iniciaria em alta. Às 11h10 (de Brasília), o Dow Jones caía 0,46%, o Nasdaq recuava 0,17% e o S&P tinha queda de 0,41%.

O Federal Reserve da Filadélfia informou que seu índice de atividade industrial regional caiu para 8,5 em abril, bem abaixo da previsão dos analistas, de 10,7. Já as vendas de morais usadas recuaram 2,6% em março, quando a expectativa era de alta de 0,4%.

Os números do mercado de trabalho abriram a movimenta agenda de indicadores do dia no país. O Departamento de Trabalho afirmou que número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 2 mil, para 386 mil, após ajustes sazonais, na semana até 14 de abril. Apesar da queda, o resultado ficou abaixo do declínio de 5 mil solicitações previsto pelos economistas.

No geral, a temporada de balanços foi bem recebida pelos investidores. O Bank of America Corp. reportou que seu lucro caiu 68% no primeiro trimestre, para US$ 653 milhões, enquanto o lucro ajustado, excluindo itens extraordinários, subiu para US$ 0,31 por ação diluída no primeiro trimestre, de US$ 0,23 no mesmo período do ano passado.

O Morgan Stanley disse que teve prejuízo de US$ 94 milhões no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o lucro líquido de US$ 968 milhões registrado no mesmo período do ano passado. No horário cotado acima, os papéis do banco tinham alta de 1,38%.

O lucro da empresa norte-americana DuPont subiu 4% no primeiro trimestre, para US$ 1,49 bilhão, ou US$ 1,57 por ação, de um lucro de US$ 1,43 bilhão, ou US$ 1,52 por ação, no mesmo período do ano passado. A ação da companhia caía 0,04%.

No entanto, as preocupações com a Europa ainda continuam no centro das atenções. Os bônus do governo da Alemanha atingiram um nova máxima recorde, enquanto o euro caiu abaixo de US$ 1,31 e as bolsas europeias acentuaram as perdas, afetadas por rumores não confirmados que o rating soberano da França poderia ser rebaixado.

Mais cedo, um leilão de bônus Espanhol foi considerado positivo pelos analistas. O Tesouro espanhol vendeu € 2,541 bilhões em bônus de dois e dez anos em um leilão nesta manhã e pagou yield (retorno ao investidor) mais alto pelos papéis de prazo mais longo do que o oferecido no leilão anterior. A Espanha pretendia vender entre € 1,5 bilhão e € 2,5 bilhões em bônus. Analistas observaram que demanda apelos títulos continuou forte, o que ajudou a diminuir o nervosismo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:

bolsasnova york

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.