Bolsas de NY fecham em leve alta após dados positivos e expectativa com Bernanke

Estadão

29 de agosto de 2012 | 17h45

Álvaro Campos

NOVA YORK – As bolsas de Nova York fecharam em leve alta nesta quarta-feira, após indicadores positivos nos EUA e com a expectativa com o discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, na sexta-feira.

O índice Dow Jones subiu 4,49 pontos (0,03%), fechando a 13.107,48 pontos. O Nasdaq avançou 4,05 pontos (0,13%), fechando a 3.081,19 pontos. E o S&P 500 teve alta de 1,19 ponto (0,08%), fechando a 1.410,49 pontos. Com apenas mais duas sessões em agosto, o Dow Jones acumula alta de 0,8% no mês.

O Departamento do Comércio divulgou hoje sua revisão para o produto interno bruto (PIB) dos EUA no segundo trimestre. O crescimento da economia norte-americana em relação ao mesmo período do ano passado foi revisado para 1,7%, da alta de 1,5% informada anteriormente. O resultado da revisão ficou exatamente em linha com as expectativas do mercado.

Já a Associação Nacional de Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês) informou que seu índice de vendas pendentes de imóveis subiu 2,4% em julho, para 101,7 pontos, o nível mais alto desde abril de 2010. Os analistas ouvidos pela Dow Jones esperavam uma alta bem menor, de 1%.

Além disso, o Federal Reserve divulgou hoje seu Livro Bege, no qual afirma que a economia dos EUA cresceu em um ritmo modesto a moderado em julho e no começo de agosto. A maioria dos distritos do banco central registrou uma leve alta na geração de empregos. Mas o relatório não ajudou a esclarecer se o Fed está disposto a adotar novas medidas para estimular a economia, o que aumenta as expectativas com o discurso de Bernanke na sexta-feira, durante a conferência anual de Jackson Hole.

Na Europa, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou em um artigo no semanário alemão Die Zeit que o papel da instituição para garantir a estabilidade dos preços e a política monetária única na zona do euro pode, às vezes, exigir medidas extraordinárias. “É preciso entender que cumprir o nosso mandato às vezes exige que nós avancemos além dos instrumentos de política monetária padrões”, afirmou, elevando as expectativas de que o BCE deve anunciar uma medida robusta para combater a crise na sua reunião do dia 6 de setembro.

Entre os setores com melhor desempenho hoje nas bolsas de Nova York estavam as empresas de telecomunicações e bens de consumo discricionários. A Verizon registrou uma das maiores altas entre os componentes do Dow Jones, com avanço de 0,98%. A maior queda foi a da Coca-Cola, que recuou 1,42%.

Os papéis da Yelp saltaram 22,51%, mesmo com o fim do período que impedia alguns grandes acionistas de venderem suas participações, após a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da companhia, que oferece serviços de busca online de estabelecimentos comerciais e críticas feitas pelos usuários. As informações são da Dow Jones.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.