Bolsas europeias caem após impulso inicial de leilões da Itália e da Espanha

Estadão

28 de agosto de 2012 | 08h56

Fernando Nakagawa

LONDRES – Os mercados acionários europeus reagiram positivamente aos dois leilões de dívida realizados pelos governos da Itália e da Espanha, mas o alívio durou pouco e os índices voltaram ao vermelho nos últimos minutos. O cancelamento da ida do presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, ao simpósio anual em Jackson Hole, nos Estados Unidos, é encarado por alguns operadores como “sinal” de que a autoridade monetária europeia estaria perto de finalizar os detalhes do programa de compra de bônus.

No começo da manhã, Itália e Espanha emitiram títulos públicos em leilões com juros menores que os praticados em emissões anteriores. O resultado animou operadores e alguns índices acionários da região chegaram a reverter a trajetória negativa e passaram a operar no azul por alguns minutos. A tendência, porém, foi interrompida nos últimos minutos, quando os índices perderam força e voltaram ao campo negativo.

Uma notícia negativa veio do Japão, onde o governo cortou sua projeção para o ritmo da economia em agosto pela primeira vez em dez meses diante do enfraquecimento das exportações e da estagnação nos gastos dos consumidores japoneses.

Às 8h10 (de Brasília), o FTSE, principal índice de Londres, recuava 0,07%, aos 5.772 pontos. Em Frankfurt, o DAX registrava perdas de 0,54%, aos 7.008 pontos. No mesmo horário, o CAC parisiense perdia 0,73% e o IBEX 35 espanhol amargava perda de 0,49%.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesbolsaeuropa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.