carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Bolsas europeias fecham em queda afetadas por dado dos EUA e commodities

Bianca Pinto Lima

28 de março de 2012 | 15h09

Danielle Chaves, da Agência Estado

LONDRES – As bolsas europeias fecharam em queda, pressionadas por bancos e mineradoras depois da decepção com o dado mais fraco do que o esperado sobre encomendas de bens duráveis nos EUA e em meio à queda dos preços das commodities. As encomendas subiram 2,2% em fevereiro, abaixo da previsão de alta de 3,0%. O índice Stoxx Europe 600 terminou a sessão com baixa de 1,1%, aos 264,10 pontos.

“Existem receios de que a melhora na economia não esteja tão forte e de que os participantes dos mercados tenham exagerado no otimismo após a liquidez extra fornecida pelo Banco Central Europeu” recentemente, afirmou Christian Tegllund Blaabjerg, economista-chefe da FIH Erhvervsbank. “Nós vamos ver as ações seguindo em queda”, acrescentou.

O índice Ibex-35 da Bolsa de Madri teve a maior perda, de 1,96%, para 7.980,80 pontos, com destaque para ações de bancos. Banco Sabadell caiu 3,0%, Bankia recuou 3,6% e Banco Santander cedeu 1,9%. A questão da dívida do governo espanhol continuou pesando sobre a bolsa antes da greve geral no país marcada para amanhã e do anúncio sobre o orçamento previsto para sexta-feira. Um economista do Citigroup afirmou hoje que o risco de uma reestruturação da dívida da Espanha aumentou.

Em Milão, Banca Popolare di Milano caiu 5,4% depois de ter a recomendação para suas ações rebaixada de “outperform” para “neutra”. O índice FTSE MIB fechou em baixa de 0,28%, aos 16.451,71 pontos. A Bolsa de Lisboa terminou com o índice PSI-20 em queda de 0,91%, aos 5.603,07 pontos.

A petroleira francesa Total terminou o dia com recuo de 1,3%, ainda pressionada pelas preocupações com o vazamento de gás em uma operação no Mar do Norte que começou no domingo. O índice CAC-40 perdeu 1,14%, para 3.430,15 pontos. No setor bancário, Société Générale caiu 2,9%, Crédit Agricole declinou 2,8% e BNP Paribas cedeu 1,3%.

Os bancos também foram destaque negativo em Londres, onde o índice FT-100 perdeu 1,03%, para 5.808,99 pontos. Lloyds Banking Group caiu 1,1% e Barclays fechou em baixa de 2,3%. Empresas ligadas a recursos naturais também tiveram um dia ruim, afetadas pelas quedas dos preços das commodities. Entre as mineradoras, Fresnillo caiu 4,1%, Vedanta Resources declinou 5,5% e Anglo American teve queda de 2,8%. Entre as petroleiras, BG Group fechou com -1,7% e BP registrou -0,7%.

Na Alemanha, o índice DAX caiu 1,13%, para 6.998,80 pontos. As montadoras lideraram as baixas, como BMW (-1,8% e Daimler (-2,2%). Fora do índice, Infineon Technologies se destacou com alta de 1,8%, depois de ter seu preço-alvo elevado pelo Exane BNP Paribas.

A finlandesa Nokia avançou 3,5% em Helsinque em seguida ao anúncio de que a versão chinesa de seu smartphone Lumia 800 estará disponível no mercado da China em abril. As informações são da Dow Jones.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: