Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsas europeias fecham em queda com Espanha e dados ruins dos EUA

Estadão

19 de abril de 2012 | 14h51

Renan Carreira, da Agência Estado 

LONDRES –  As bolsas europeias fecharam em queda nesta quinta-feira, com o índice Ibex35, de Madri, recuando para menos de 7.000 pontos pela primeira vez desde 9 de março de 2009. Rumores de que a agência de classificação de risco Fitch poderia cortar o rating soberano da França e dados ruins dos EUA também pesaram para o lado negativo. O índice Stoxx Europe 600 terminou a sessão com baixa de 0,47%, aos 256,51 pontos.

A maioria dos mercados abriu em território positivo. Um leilão da Espanha teve demanda sólida, mas o custo de financiamento aumentou, como esperado, dada a pressão recente sobre os bônus espanhóis. Os estrategistas disseram que os yelds (retorno ao investidor) subiram posteriormente, uma vez que os investidores voltaram a se preocupar com os desafios fiscais da Espanha. No mercado secundário, os yelds dos bônus de 10 anos da Espanha subiram para 5,92%.

Em Madri, o índice Ibex 35 recuou 2,42%, a 6.908,10 pontos. BBVA caiu 4,5% e Banco Santander teve baixa de 3,6%.

Nos EUA, o índice de atividade industrial regional do Federal Reserve da Filadélfia caiu para 8,5 em abril, de 12,5 em março. Os economistas ouvidos pela Dow Jones previam uma leitura de 10,7. Além disso, o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 2 mil, para 386 mil, após ajustes sazonais, na semana até 14 de abril. Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 5 mil solicitações.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, fechou a sessão na mínima, com queda de 2,05%, para 3.174,02 pontos. Société Générale caiu 5,2%, BNP Paribas recuou 4,8% e Crédit Agricole registrou queda de 4,3%.

Na Itália, o FTSE MIB também fechou na mínima (-2,01%), para 14.287,27 pontos, com UniCredit em baixa 3,1%.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX caiu 0,90%, fechando a 6.671,22 pontos. Commerzbank recuou 2,4%, Deutsche Bank teve baixa de 2,1%. Por outro lado, Beiersdorf fechou em alta de 2,5% após uma melhor avaliação de seus papéis pelo Exane BNP Paribas.

Em Londres, o índice FTSE recuou 0,01%, a 5.744,55 pontos. BP caiu 1,3%, BG Group teve baixa de 0,8% e Tullow Oil registrou queda de 1,1%.

Em Portugal, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, registrou baixa de 0,22%, para 5.177,12 pontos. As informações são da Dow Jones.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: