Bolsas fecham em alta com especulação sobre pacote de resgate para a Espanha

Estadão

21 de setembro de 2012 | 14h14

Sergio Caldas

LONDRES – As bolsas europeias tiveram ganhos quase generalizados nesta sexta-feira, sustentadas pela especulação gerada com a possibilidade de a Espanha receber um pacote de ajuda integral no curto prazo. O índice Stoxx Europe 600 encerrou o dia com alta de 0,5%, aos 275,78 pontos, reduzindo a perda na semana para 0,1%.

Segundo reportagem publicada ontem pelo Financial Times, autoridades da União Europeia estão trabalhando nos bastidores na preparação de um novo pacote de ajuda financeira à Espanha, que incluiria compras de bônus espanhóis pelo Banco Central Europeu (BCE). De acordo com o jornal britânico, o programa econômico deverá ser anunciado no próximo dia 27.

Funcionários envolvidos nas negociações, citados pelo FT, disseram que as negociações estão focalizadas nas medidas que os credores multilaterais imporiam à Espanha como condição para a concessão de mais auxílio, de modo a assegurar que haja um acordo sobre tais exigências antes de o país fazer um pedido formal de ajuda. Madri conta hoje com um programa de assistência, de até 100 bilhões de euros, que se destina unicamente ao saneamento do setor bancário espanhol.

A notícia impulsionou a Bolsa de Madri, que teve o melhor desempenho do dia na Europa. O índice Ibex 35 saltou 2,6%, para 8.230,70 pontos, a máxima do dia, apagando as perdas recentes e garantindo um avanço de 0,93% na semana. Os bancos lideraram os ganhos, com Bankia, BBVA e Santander fechando em alta de 5,7%, 3,7% e 3,6%, respectivamente.

O mercado português registrou o segundo maior ganho desta sexta. Em Lisboa, o índice PSI 20 subiu 1,69%, para 5.428,35 pontos, também o nível mais alto do pregão. Na semana, no entanto, houve uma ligeira perda de 0,13%.

A bolsa inglesa foi a única exceção do dia. o índice FTSE 100 encerrou a sessão praticamente inalterado, com um pequeno declínio de 0,03%, aos 5.852,62 pontos. A perda na semana foi de 1,06%. A Glencore e a Xstrata tiveram perdas respectivas de 1,7% e 4,2% após o anúncio de que a decisão final sobre a proposta de fusão das empresas só sairá em uma semana. Antes, havia a expectativa de que um acordo pudesse ser fechado hoje.

Em Paris, o índice CAC 40 avançou 0,59%, para 3.530,72 pontos, com Crédit Agricole subindo 2,2% e Peugeot recuando 2,1%. Na semana, a bolsa francesa acumulou perdas de 1,42%.

Na Alemanha, Volkswagen, Daimler e Bayer ganharam 3,4%, 2,5% e 2,4%, respectivamente. Com isso, o índice Dax subiu 0,84%, para 7.451,62, garantindo uma alta semanal de 0,53% para a Bolsa de Frankfurt.

Em Milão, índice FTSE MIB teve alta de 1,02%, para 15.991,10 pontos, com impulso do Banca Monte dei Paschi (+4,2%), Banco Popolare (+3,1%) e Intesa Sanpaolo (+2,5%). Fiat, por outro lado, perdeu 1,1% na véspera da reunião com o governo da Itália para discutir seus planos de produção no país. Apesar do fechamento positivo, a perda ao longo da semana foi significativa, de 3,53%. As informações são da Dow Jones.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.