Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Bolsas na Europa sobem, mas temores com Espanha limitam ganhos

Yolanda Fordelone

26 de março de 2012 | 08h48

A maior parte das bolsas europeias conseguiu reverter as perdas registradas no início da sessão, após terem sido pressionadas pelo resultado das eleições na Andaluzia, na Espanha, no domingo. No entanto, os ganhos deverão ser limitados pelas preocupações com a situação das economias espanhola e italiana. Os traders dos mercados cambiais afirmaram que a situação na Espanha está provavelmente pesando sobre o euro, que caiu ante o dólar na sessão europeia e quebrou níveis psicologicamente importantes.

Embora o conservador Partido Popular, do primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, tenha vencido as eleições na Andaluzia – a região mais populosa do país – pela primeira vez na história, ele não conseguiu obter a maioria parlamentar necessária para governar lá, como as últimas pesquisas de opinião tinham previsto antes da eleição. Espera-se amplamente agora que os socialistas do Partido Socialista Operário Espanhol (Psoe) formarão um governo de coalizão com o bloco Esquerda Unida.

“O controle absoluto teria sido um impulso para Rajoy que está se preparando para anunciar cortes de gastos na saúde e educação”, afirmou Ioan Smith, diretor da corretora Knight Capital. Segundo ele, a questão agora é se o primeiro-ministro espanhol ainda terá o desejo de prosseguir com o orçamento difícil e a reforma estrutural do estado de bem-estar após não ter conseguido a maioria na Andaluzia.

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, está preocupado sobre a situação financeiras da Espanha e disse que não levará muito tempo para que a crise da dívida da zona do euro seja reavivada, reportou a agência de notícias Reuters no fim de semana. Monti elogiou, durante uma conferência, os esforços da Espanha para reformar o mercado de trabalho, mas afirmou que o país não tem conseguido colocar o orçamento sob controle.

Por volta das 7h55 (de Brasília), a Bolsa de Madri registrava queda de 1,34%, Londres (+0,45%), Paris (+0,09%), Frankfurt (+0,64%), Lisboa (0,18%) e Milão (-0,02%). No câmbio, o euro era negociado a US$ 1,3239, de US$ 1,3271 ontem.

Por outro lado, os yield (retorno ao investidor) dos bônus da Espanha e os custos do seguro da dívida recuaram, após o Financial Times reportar que a Alemanha pode estar pronta para permitir uma ampliação da proteção da zona do euro contra crises.

Os ministros das Finanças europeus se reunirão nesta semana para discutir os planos para permitir que Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) e o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, em inglês) funcionem juntos, aumentou o tamanho total dos recursos disponíveis para € 700 bilhões. As informações são da Dow Jones.

(Clarissa Mangueira, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

açõesbolsa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: