Bovespa abre em alta, mas dia deve ser de cautela

Yolanda Fordelone

29 de novembro de 2011 | 11h03

O mercado futuro no Brasil abriu às 10 horas indicando leve alta do Ibovespa, principalmente por conta de um leilão de títulos na Europa que fez as bolsas de lá avançarem. A Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta de 0,06%, a 56.051 pontos.

Na Europa, as bolsas tiveram uma manhã de alta, incentivadas pelo leilão de títulos da Itália, mas reduziram a valorização há pouco. O país vendeu quase 8 bilhões de euros em bônus. Mesmo com os yields (retorno ao investidor) altos, o governo italiano conseguiu vender praticamente todo o volume pretendido. “A alta de ontem foi muito forte e não há um panorama desenhado que sustente essas valorizações”, diz o analista da corretora Cruzeiro do Sul, Jason Freitas Vieira.

Pesa nos mercados a redução da projeção para o PIB do Reino Unido para 0,9%, de acordo com o governo. Pela manhã, o banco UBS reduziu a projeção do PIB chinês para 8% em 2012, pois segundo a instituição não deverá haver crescimento das exportações do país para a Europa. “Além da forte alta de ontem há notícias que seguram um pouco o otimismo. Está em aberto se haverá ou não um novo pacote na região”, afirma Vieira.

O noticiário nos EUA também não é favorável. Há pouco, a companhia American Airlines pediu concordata em Nova York. As ações recuavam mais de 60% um pouco depois do anúncio.

Hoje é aguardada a reunião do Eurogrupo entre os ministros de Finanças da zona do euro. O encontro motivou a alta na Ásia. Investidores esperam que os ministros tomem atitudes decisivas para conter a crise da dívida. A Bolsa de Hong Kong subiu 1,2%.

americanAirlines_REUTERSJeff_Mitchell.jpg

 

Tudo o que sabemos sobre:

açõesBovespa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.